• Desporto

Vitória B empatou ensaio com ...

Taipas iniciou pré-época com 14 ...

Extremo João Amaral apontado como ...

Guimarães Digital

Manuel Machado: “Condiciona-se o jogo de muitas maneiras.”

Hélio Santos foi o alvo principal de Manuel Machado. O treinador não poupou críticas ao critério disciplinar do árbitro lisboeta. Foi o primeiro tema a ser desenvolvido. Manuel Machado não gostou do trabalho de Hélio Santos e fez questão de expressar a sua insatisfação com o trabalho levado a cabo pelo árbitro de Lisboa: “A pouca vontade que tinha de vir a este jogo confirmou-se. Houve um alto condicionamento da minha equipa logo no primeiro tempo com a amostragem de cartões amarelos que não me parecem justificáveis. Ainda houve o vermelho ao Silva. De alguma forma isso está na base daquilo que afirmei no sábado, que não tinha grande vontade de falar nem de fazer este jogo.”
Pergunta importante. Manuel Machado pensa que o Vitória perdeu o jogo por causa do árbitro? “Não acho que perdeu por causa do árbitro. Mas acho que a equipa foi condicionada. Os meus jogadores viram cartões amarelos no primeiro tempo e vi-me obrigado a fazer alterações porque havia jogadores em risco de ser expulsos. Da forma como estava a ser gerido o jogo, essa possibilidade era evidente. Nesse contexto, as coisas também se fazem não só ao marcar um penaltie ou um fora de jogo. Condiciona-se o jogo de muitas maneiras.” Sobre a expulsão de Silva, referiu que “não vi nada de especial. Não sei se o Silva disse alguma coisa de menos correcto ao árbitro. De qualquer maneira, já havia um conjunto de penalizações frequentes. A minha equipa foi carregada com amarelos e do lado oposto parece que não se passou nada. Eram todos bons rapazes, com um comportamento exemplar. Penalizações só para um lado. Não me parece normal.”

Sobre o jogo, o treinador disse que o Vitória fez “tecnicamente um jogo muito aceitável.” Por isso, discordou do resultado: “É uma derrota que mente. Fizemos uma boa exibição no segundo tempo. A estratégia era de contenção do primeiro impacto que o Benfica iria tentar, mas não o conseguimos fazer. Sofremos dois golos em fases que normalmente condicionam e são determinantes para o desenrolar do jogo. Sofremos um golo na entrada e outro sobre o intervalo. Todavia, no segundo tempo, também tivemos a felicidade de marcar logo no início da segunda parte. Depois, acabamos por construir uma série de oportunidades, mas a eficácia a nível da finalização acabou por condicionar. O resultado acabou por ser negativa.”

Marcações: Desporto

Imprimir Email