Curtas
«O Verde a Preto e Branco» na Colecção de Fotografia da Muralha, no Guimarãeshopping. Até 3 de Novembro
Facebook Twitter Google + YouTube
Vitória baixou passivo para 9,9 milhões de euros depois de lucro de 800 mil euros

Vitória baixou passivo para 9,9 milhões de euros depois de lucro de 800 mil euros

Desporto9 de Outubro, 2017 14:46

O Vitória terminou a época 2016/17 com um resultado líquido positivo de 798.005 euros, o primeiro desde 2008/09, e baixou o passivo para os 9,9 milhões.

Após o prejuízo de 254 mil euros em 2015/16, o Relatório e Contas da época passada, apresentou uma melhoria superior a um milhão de euros, que resultou principalmente da atribuição de 906 mil euros de lucros da SAD, detentora do futebol profissional e da maioria do futebol de formação (lucro total de 2,8 milhões), ao clube, detentor de 40% das ações.

Os rendimentos do clube, que congrega parte do futebol de formação, modalidades e gestão das piscinas, cresceram dos quatro para os 5,3 milhões de euros (mais de 31%), também graças ao "aumento do valor relativo a cobrança de quotas (cerca de 150.000 euros)", dos "ganhos de publicidade" e das "rendas recebidas", indica o documento.

Já os gastos também subiram, mas dos 3,1 para os 3,4 milhões de euros, o que permitiu um resultado operacional positivo de 1,9 milhões de euros, reduzido depois para os 800 mil euros, em virtude das depreciações e amortizações (838 mil euros) e dos juros (253 mil euros).

O passivo do clube fixou-se nos 9,9 milhões de euros, depois de, em 2015/16, se ter registado um valor de 10,8 milhões, tendo caído pela quinta temporada consecutiva - no final de 2011/12, o passivo era de 24 milhões.

A variação ficou a dever-se à redução do passivo não corrente - dívidas, por norma, com um prazo superior a um ano para serem pagas - dos 8,5 para os 7,5 milhões de euros, já que o passivo corrente subiu de 2,3 para 2,4 milhões, na sequência dos aumentos das dívidas para com os fornecedores e o Estado e outras entidades públicas.

O clube registou ainda uma subida do capital próprio dos 25,2 para os 25,9 milhões de euros, depois de três anos de quebra, já que o ativo sofreu uma redução inferior à do passivo, de cerca de 250 mil euros, para os 35,8 milhões.

O Conselho Fiscal emitiu um parecer favorável ao Relatório e Contas por "unanimidade" e com um "voto de louvor", destacando que os indicadores apontam para uma "total estabilização financeira", que permite ao clube "suprir os seus compromissos com recurso a fundos próprios".

O parecer refere ainda que o clube pode "almejar" doravante um "futuro de maior tranquilidade ambição", apesar de aspetos como a "reformulação do modelo de quotização" e o investimento quer para "melhorar e aumentar o património do clube" quer nas modalidades merecerem "reflexão".

O Relatório e Contas vai ser submetido à votação dos sócios na Assembleia-Geral, entretanto adiada de sábado, 14 de outubro, para domingo, pelas 9 horas, em virtude do jogo com o Vidigueira, no sábado, para a Taça de Portugal. 

Vídeos recentesver tudo

Rádio Santiago em Direto

Cantinho do Puff

Farmácias de Serviço

Guimarães

Farmácia Paula Martins (Permanente)
Rua Teixeira Pascoais, 71-B

Vizela

Farmácia Ferreira (Disponibilidade)
Avenida Abade de Tagilde, Nº 901

As nossas publicações

Desenvolvido por 1000 Empresas

Contactos

Edifício Santiago
Rua Dr. José Sampaio n.º 264
4810-275 Guimarães
Tel.: 253 421 700
Email: geral@guimaraesdigital.com