Há 170 ninhos de vespas asiáticas em Guimarães para erradicar



A presença de vespa asiática em Guimarães resultou na identificação de 609 ninhos em 2019, sendo que 440 forma erradicados, mas ainda há 170 para erradicar, revelou o Município de Guimarães.
São números que indicam um aumento da praga, que ao longo do último ano registou 756 ninhos, dos quais 742 foram erradicados.
Designada cientificamente por vespa velutina, a vespa asiática foi pela primeira vez avistada em Portugal em 2011, no distrito de Viana do Castelo, e, desde aí, tem vindo a deslocar-se para o Sul do País, sendo que Lisboa, até agora, é o distrito mais a sul onde existe a presença da vespa velutina.

Em Guimarães, o Município leva a cabo um plano de erradicação de vespas velutinas, que teve início em 2014.
No seu procedimento, o Município de Guimarães regista os pedidos de comunicação quanto à localização de ninhos de vespa velutina, valida a sua localização no território e procede à sua erradicação com a incineração do mesmo e por fim procede ao seu registo na Plataforma SOS Vespa. Para o combate à espécie invasora existe uma equipa específica com cinco elementos, viatura, e equipamento específico para a cremação dos ninhos.
Quanto à monitorização dos ninhos de vespas velutinas, este começa por ter uma visualização "in loco" da sua presença e contextualização, de modo a perceber que meios humanos e materiais são necessários para a sua erradicação. Por fim, no período nocturno procede-se à sua erradicação, pelo método de cremação.

Marcações: vespas asiáticas, ninhos

Imprimir Email