PSD desafia Câmara a processar Águas do Norte pelos derrames de efluentes dos seus emissários

O vereador do PSD, Bruno Fernandes, desafiou a Câmara a intentar uma acção judicial contra a Águas do Norte devido aos recorrentes casos de poluição dos rios causados por problemas dos seus emissários de efluentes.
Bruno Fernandes falava na reunião do executivo Municipal desta quinta-feira realizada em Atães, a propósito do derrame de efluente registado em Aldão.
Para o Vereador social democrata, "mais uma vez as águas de um dos afluentes do Rio Ave foram poluídas pela Águas do Norte". A este propósito desafiou o Município de Guimarães a seguir o exemplo da autarquia de Vizela.
"A Câmara de Vizela meteu a Águas do Norte em tribunal porque não resolviam o problema de sucessivos derrames no Rio Vizela. Penso que está na hora do Município tomar uma posição mais truculenta", afirmou.
"A responsabilidade dos emissários é da Águas do Norte e se estão mal dimensionados, é responsabilidade da Empresa corrigir eventuais erros. Já são derrames a mais e isto vai acontecer sempre que chover", acrescentou.

Na resposta, o Presidente da Câmara, Domingos Bragança, considerou que "meter um processo judicial não custa nada, mais difícil é realizar o trabalho que estamos a desenvolver". Um trabalho que está a ser levado a cabo no terreno, liderado pelo Município e em conjunto com entidades parceiras, tendo em vista a despoluição dos cursos de água do Concelho.
"Estamos a trabalhar com todas as entidades, e realizar um trabalho técnico entre a Vimágua, a Agência Portuguesa do Ambiente, a Águas do Norte e a Câmara Municipal para tentarmos resolver estes problemas", destacou.
"Outra coisa importante é o trabalho que a Câmara está a realizar para tentar criar na população uma forte consciência ambiental, num trabalho que já levou à criação de inúmeras Brigadas Verdes no Concelho que assumem uma função vigilante do nosso património ambiental e natural", acrescentou.
"Estamos a fazer um caminho que é longo e que vale a pena, apesar de ser ingrato mas é um caminho que queremos fazer", concluiu.

A empresa Águas do Norte não respondeu às questões colocadas pelo Grupo Santiago sobre o caso registado em Aldão e que pretendem saber a explicação para o sucedido e as medidas que serão adoptadas para evitar futuras ocorrências.

Marcações: Águas do Norte, efluentes, PSD

Imprimir Email