Guimarães figura entre as cidades mundiais afectadas pelas alterações climáticas

Guimarães figura entre as cidades mundiais que já estão a ser afectadas pelas alterações climáticas, segundo a organização CDP – Disclosure Insight Action.

Num estudo divulgado esta terça-feira por diferentes órgãos de comunicação, a plataforma de divulgação ambiental conclui que apenas metade das cidades está a analisar as vulnerabilidades para determinar a capacidade de resposta aos riscos. 

Para além de Guimarães, também Lisboa, Porto, Braga e Cascais são identificadas no referido estudo.

A CDP explica que das 620 cidades a nível global que reportaram informações ambientais, 85% já enfrentam riscos nesta área. No entanto, destas 40% concluíram avaliações de vulnerabilidade.

Entre os três principais riscos ambientais as inundações (71%), calor extremo (61%) e secas (36%) lideram a tabela. “Os riscos sociais reportados incluem aumento do risco para populações já vulneráveis (40%), aumento da procura de serviços públicos, incluindo saúde (33%) e aumento da incidência e prevalência de doenças (25%)”, explica a CDP.

“As cidades que realizaram avaliações de vulnerabilidade têm duas vezes mais hipóteses (2,7x) de reportar riscos a longo prazo e estão a executar, em média, quase seis vezes (5,7x) tantas ações de adaptação do que as cidades sem avaliações de vulnerabilidade, o que significa que estão melhor preparadas para melhorar a resiliência”, explica o estudo.

Entre as cidades portuguesas analisadas, Guimarães é a que apresenta maior número de riscos identificados: ondas de calor, deslizamento de terras, vento severo, condições extremas de inverno, tempestades, inundações fluviais e incêndios florestais.

em Ambiente

Marcações: Guimarães, alterações climáticas, CDP – Disclosure Insight Action

Imprimir