340 ninhos de vespas asiáticas sinalizados desde o início do ano em Guimarães

Tem sido uma praga que alastra de ano para ano. Os ninhos de vespas velutinas, ou asiáticas como são vulgarmente conhecidas, surgem onde menos se espera e incomodam quem vive nas redondezas, com os receios de eventuais ataques. Desde o início deste ano, já foram reportados à Câmara Municipal de Guimarães 340 ninhos, encontrando-se espalhados pelas diferentes freguesias, tendo os serviços já procedido à destruição de 280 ninhos. 

"É uma situação que atinge diferentes pontos do Concelho", observou a Vereadora do Departamento de Serviços Urbanos e Ambiente, ao realçar que a época mais crítica do ano ainda está para chegar. "É a partir de Setembro que chegam aos serviços as informações de mais casos", frisou, considerando que os dados referentes aos primeiros sete meses deste ano revelam "um número considerável de ninhos sinalizados e erradicados".

"Os serviços têm sido reajustados e adequados para responderem ao aumento deste tipo de situações", observou Sofia Ferreira, ressalvando que durante este período não é possível recorrer ao fogo para eliminar os ninhos, sendo este um dos métodos utilizados para a sua destruição. "As nossos equipas têm procedido à aplicação de insecticida e retirada do ninho desactivado ou a captura do ninho em estado activo", prosseguiu, acrescentando que está em curso um procedimento para reforçar a equipa que se dedica exclusivamente a este serviço.

"Ao longo dos últimos anos, as necessidades têm vindo a crescer. Temos vindo com os nossos recursos a responder às necessidades, mas o volume de situações que o Município regista obriga à disponibilização de uma equipa específica para a erradicação dos ninhos de vespa asiática", afirmou a Vereadora, ao destacar que o Município tem contado com o apoio das corporações de bombeiros em muitas circunstâncias, em função dos locais em que se localizam os ninhos de vespas. "Prevê-se que este ano ainda venham a ser superados os dados de 2019", lamentou.

No último ano foram identificados e destruídos em Guimarães 1 417 ninhos de vespas asiáticas, quase o dobro em relação a 2018. Uma praga que está a ser combatida pelos serviços de protecção civil, com a aplicação das técnicas mais apropriadas para a destruição dos ninhos para eliminar os novos focos e prevenir a dispersão da espécie que tem causado prejuízos na produção de mel e na polinização, já que aquela espécie é predadora da abelha europeia.

em Ambiente

Marcações: Câmara Municipal de Guimarães, vespas asiáticas, ninhos

Imprimir