BIGGER: ICC demonstra na Alemanha como evoluiu do engenho para a engenharia do calçado

Num stand que faz a apologia da tradição do negócio de família, a par da capacidade de inovação, a Lavoro apresenta projectos disruptivos.

A ICC-Indústrias e Comércio de Calçado, SA - que assinala 35 anos de actividade no quadro de um projecto empresarial de família que remonta a 1872 – participa pela 16ª vez consecutiva na A+A, a maior feira mundial do sector dos equipamentos de proteção individual, que se realiza em Dusseldorf, na Alemanha, de 26 a 29 de Outubro, procurando revelar como evoluiu do engenho para a engenharia de calçado. 

Longe vão os tempos das formas em madeira para sapatos, construídas num engenho de água que a família de Teófilo Leite, presidente do conselho de administração da ICC ainda detém em Felgueiras, ou do sapato cozido à mão. A produção tradicional das origens deu lugar à podologia, à biomedicina e à biomecânica. 

«O conhecimento empírico do pé que permitia produzir formas de madeira foi substituído pela biomecânica digital que favorece a produção de calçado profissional capaz de beneficiar a saúde do pé, mas também de o proteger dos riscos associados aos diferentes ambientes de trabalho», explica Teófilo Leite, presidente do conselho de administração da ICC, que criou o SPODOS – Foot Science Center, para auxiliar nessa tarefa de conferir maior cientificidade à produção de calçado profissional.  

Propostas disruptivas a nível mundial

Neste contexto, e para celebrar os seus 35 anos, a ICC apresenta na A+A diversos projetos disruptivos, para o domínio do calçado profissional, que a sua marca Lavoro está a desenvolver com diversos parceiros empresariais e académicos: 

- THERMICC: Sistema com dispositivos termoelétricos impressos na palmilha, para aquecimento e arrefecimento dos pés. Patente em processo.

- SCIENCE DIABETICC FOOTWEAR: Calçado terapêutico com materiais inteligentes adaptados à condição do pé diabético, com monitorização de parâmetros clínicos. Visa prevenir lesões do membro inferior e evitar amputações.

- SHOE @ FUTURE: Calçado com soluções biomecânicas de elevada exigência funcional, tendo por base uma produção 'verde' dos seus componentes.

- AUGMANITY - Humanidade Aumentada em contexto de trabalho: calçado profissional inteligente, que visa a integração de tecnologias da indústria 4.0 e o aumento da competitividade da indústria.

  • ECOSHOES - Um projeto que visa a promoção da sustentabilidade e da economia circular na produção de calçado profissional.

Uma marca que preserva árvores

A Lavoro tem já uma longa tradição de respeito pelo ambiente, que se materializa, por exemplo, na patente Clima Cork System, que, desde 1995, prevê a inclusão de cortiça em palmilhas e solas – dinâmica que não configura um consumo de recursos naturais, mas, pelo contrário, uma dádiva de vida, quer aos sobreiros, quer aos pés dos utilizadores do calçado profissional. 

Retirar a cortiça aos sobreiros, de 9 em 9 anos, permite regenerar a árvore e dar-lhe condições para continuar a crescer. O seu uso pela Lavoro possibilita regular o calor e o frio dentro do calçado, confere um conforto extra e contribui para a redução da fadiga, ao beneficiar a distribuição uniforme do peso. A cortiça favorece a criação de uma espécie de impressão plantar que torna mais natural a adaptação do pé ao calçado, favorece a saúde do pé e, desde logo, uma melhor qualidade de vida do utilizador em contexto laboral. 

«Escolher calçado profissional com incorporação de cortiça significa escolher uma vida profissional melhor e dar vida a um planeta melhor», resume Teófilo Leite.

Propostas que respeitam o bem-estar animal

Num stand (4C58) com 210 metros quadrados, a Lavoro apresentará na Alemanha também a sua ampla oferta de calçado profissional para homem e mulher, com especial destaque para os novos modelos Space Oddity e TT Lite, mas também para o clássico Icelandicc. 

A gama Space Oddity, disponível em azul e verde, inclusive em bota, apresenta uma gáspea com materiais respiráveis, palmilha de proteção em kevlar, biqueira em compósito e uma sola que combina TPU com tecnologia de retorno de energia, que favorece a leveza do calçado, a absorção de choque e a naturalidade dos movimentos do pé. Desenvolvido para a indústria ligeira e serviços, tem certificados Vegan e Oeko Tex, que garante a absoluta ausência de substâncias nocivas, tanto para o utilizador como para o meio ambiente.

A gama TT Lite materializa a nova geração de calçado profissional da gama TT da Lavoro. A bidensidade de PU Bio faz deste modelo um dos mais leves, flexíveis, confortáveis e macios, no contacto do pé com o solo, da sua gama. Disponível em duas cores (azul e verde), tem a preferência da indústria ligeira e serviços. A gáspea, de uma peça única e sem costuras, em microfibras respiráveis e ecológicas, tem certificados Vegan e Oeko Tex. Com propriedades anti-estáticas, biqueira de compósito e palmilha de kevlar, o TT Lite é também 100% não metálico.

O modelo Icelandicc, desenvolvido para ambientes frios, indoor ou outdoor, apresenta biqueira em compósito, sola com dupla densidade de PU, gáspea em pele e forro em pelo de carneiro – característica que distingue a oferta da Lavoro neste segmento e justifica a sua procura e o destaque que merecerá na A+A. A Lavoro assegura o rastreamento da origem dos seus produtos de origem animal, com recurso a fornecedores que sejam certificados como responsáveis e que garantam o bem-estar animal associado a toda a cadeia de fornecimento. Adequada para ambientes de trabalho com temperatura até 40 graus negativos (- 40º C), esta é a bota que a logística do frio não dispensa.

A empresa

A ICC – Indústrias e Comércio de Calçado, SA que detém a marca Lavoro, é, há 35 anos, um dos mais reputados produtores europeus de calçado profissional, de homem ou de senhora, para diversos sectores: indústria, construção, logística, transportes, manutenção, eletrónica, extração de minérios, saúde, exploração florestal e forças militarizadas. Exporta 80% da produção para mais de 50 mercados e afirma-se como uma indústria de serviço. Foi a primeira empresa do sector do calçado profissional a deter certificação em Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI). Visando o aconselhamento do calçado adequado a cada ambiente de trabalho, criou o SPODOS - Foot Science Center e estabelece regularmente parcerias com centros de investigação e universidades. Detém uma subsidiária na Alemanha e, para 2021, estima uma faturação de 18 milhões de euros.

 

 

 

Imprimir Email