Romaria Grande de S. Torcato a Património Cultural e Imaterial


A Casa da Memória está a realizar um estudo tendo em vista apresentar à Direcção Geral do Património Cultural a candidatura da Romaria Grande S. Torcato a Património Cultural e Imaterial. A revelação foi feita esta segunda-feira em conferência de imprensa de apresentação da edição deste ano daquele evento.
O trabalho está a envolver uma equipa coordenada por um antropólogo, um investigador e um historiador, afirmou Catarina Pereira da Casa da Memória. Já o Juiz da Irmandade, Paulo Novais considera ser "importante ter um acervo de rigor científico sobre o que é uma romaria para se poder preservar uma tradição tão rica".

No esforço de preservar um evento centenário que se perde no tempo, este ano a Irmandade de S. Torcato vai inaugurar fornos que vão ser fundamentais para a realização do Festival do Bolo com Sardinha.
Segundo Paulo Novais, os referidos fornos vão ser utilizados durante a Romaria Grande pelos restaurantes que participarão no Festival.

Ainda de acordo com Paulo Novais, a Romaria Grande está em "processo de renovação". Sem nunca abdicar de preservar as características que fazem do evento um "momento único das tradições populares" das gentes do vale de S. Torcato, a Irmandade entende "abrir o programa" a novos públicos. É nesse contexto que o programa deste ano consagra uma "noite grande com DJ's, muita animação e cor", direccionada para um público mais jovem.

Para a Câmara Municipal de Guimarães a Romaria Grande de S. Torcato é um dos eventos do Concelho que pode e deve ser valorizado na perspectiva da diversificação da oferta turística. "Sinal de que valeu a pena ter sido Capital Europeia da Cultura em 2012. Seis anos depois, continuamos a construir os objectivos de 2012", salientou Sofia Ferreira que elogiou o trabalho que tem sido levado a cabo pela Irmandade de S. Torcato.

Marcações: S. Torcato, romaria , grande, fornos

Imprimir Email