Propostas para este sábado em Guimarães

Este sábado realiza-se o Festival de Tunas da 15ª edição do Cidade Berço - Festival de Tunas Académicas, no grande auditório do Centro Cultural Vila Flor, com início às 21h30. É uma organização da Afonsina - Tuna de Engenharia da Universidade do Minho. O evento com a participação da T.A.L., Desertuna, Luz & Tuna e Versus Tuna. As tunas convidadas são a T.U.M., Gatuna, Tun'Obebes e Tun'ao Minho.

A edição deste ano do Húmus - Festival Literário de Guimarães começa este sábado e prolonga-se até ao dia 14. O evento, criado em 2017 para celebrar os 150 anos do nascimento de Raul Brandão, volta-se este ano para o som das palavras, tema comum a todas as sessões que compõem a programação.O Festival abre hoje com o concerto «100 anos de Amália», pelas 21h30, na Biblioteca Municipal. De referir que a sessão de “Entrevista de Vida” com Laborinho Lúcio, no âmbito do Festival Literário foi cancelada. Motivos de ordem pessoal impedem a participação do ex-ministro da Justiça e escritor no evento que estava agendado para este sábado no arranque do programa do Húmus. A sessão será remarcada tendo em vista a sua realização na Biblioteca Municipal Raul Brandão, em data a definir.

Neste primeiro fim-de-semana de Março, o Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG) e a Casa da Memória (CDMG) vão ser habitados por novas exposições, espectáculos, conferências, visitas e oficinas, para todos os públicos, com destaque para as famílias, na manhã de domingo. ‘Museu do Futuro #1’, assim se intitula este programa que propõe dois dias (7 e 8), num convite aberto à comunidade. Tânia Dinis apresenta «Álbuns da Terra», na Casa da Memória, às 11h00 e às 15h00. Às 14h00 tem início Atlas Revisitado, uma oficina de imagem e representação, orientada por Melissa Rodrigues, na icónica Sala das Máscaras do Centro Internacional das Artes José de Guimarães. A partir das 17h00 tem lugar uma conferência da artista Fernanda Fragateiro, depois de expor no CIAJG a sua obra «Caixa para Guardar o Vazio». Gil Mac apresentará «Pátria», uma visita performativa que percorre a Casa da Memória, onde outrora existiu a Fábrica de Plásticos Pátria. A noite de sábado será particularmente intensa com a inauguração de Caos e Ritmo, o mais recente ciclo expositivo do Centro Internacional das Artes José de Guimarães, com início às 21h30. No CIAJG, a partir das 23h00, há som de Plantasia, de Bruno Pernadas e Moullinex.

No âmbito do programa ExcentriCidade, o auditório dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas será palco este sábado, pelas 21h30, do concerto de Mater Madeira, no âmbito de uma residência artística do Teatro da Didascália, com a comunidade da Vila Termal. Este projecto já teve um primeiro momento em Barco no mês de Fevereiro, e prosseguirá até junho em polos do projecto de descentralização cultural do Município de Guimarães. Samuel Martins Coelho (violino) e Carina Albuquerque (violoncelo) são os músicos convidados a interpretar a composição musical de Rui Souza. O concerto Mater Madeira pretende trazer à tona o arrepio do elemento, a sensação primária do que somos: natureza. A esta ideia ou sensação nas composições aliar-se-ão também pessoas da terra, para que as suas vozes se façam ouvir no meio do violoncelo, do violino e dos teclados.

A Casa da Criança organiza este sábado mais um workshop no âmbito do projecto “Aprender a bem comer dá…”. Trata-se de uma iniciativa que tem como objectivo contribuir para a formação alimentar e nutricional da população estudantil de Guimarães. Dividido em três workshop's, o projecto vai ser ainda filmado para a realização de um vídeo-grama, que será posteriormente distribuído por todas as escolas do Concelho e instituições. A iniciativa que conta com crianças do 1º, 2º e 3º Ciclos vai decorrer no Espaço Guimarães, na loja Auchan.

De referir ainda que a sessão de astronomia, promovida pelo Curtir Ciência, agendada para este sábado foi adiada. O encontro estava programada para a Penha, no Centro Escutista de Guimarães. Observar as estrelas e os planetas através de um telescópio no cenário único da Montanha da Penha era a proposta do Centro Ciência Viva de Guimarães. 

 

em Cultura

Marcações: Cultura

Imprimir