Oficina cancela espectáculos em Guimarães até 7 de Novembro após parecer da Autoridade de Saúde

A Autoridade de Saúde desaconselhou novamente a Oficina, ooperativa cultural vimaranense responsável pela gestão e programação de diferentes equipamentos culturais da cidade de Guimarães, a realizar espectáculos, numa medida que vigorará até ao próximo dia 7 de Novembro.

Em comunicado, a A Oficina indica que "integram-se, neste período de tempo, os espetáculos de Camané & Mário Laginha (24 outubro), "As Cidades Invisíveis", de Alex Cassal (29 e 30 outubro), "Romeu e Julieta", do Útero (31 outubro) e Afonso Cabral (7 novembro), bem como as sessões do Cineclube de Guimarães".

"Na sequência do envio do Plano de Contingência e do Plano de Acção d’A Oficina para os espetáculos a realizar no Grande e no Pequeno Auditórios do Centro Cultural Vila Flor, bem como na Black Box do Centro Internacional das Artes José de Guimarães, o Serviço Municipal de Proteção Civil informa que "o previsto nesses documentos cumpre o estabelecido no artigo 21º, para eventos de natureza cultural, da Resolução do Conselho de Ministros n.º 88-A/2020 de 14 de outubro de 2020, bem como o previsto na Orientação da Direção-Geral de Saúde n.º 028/2020 de 28 de maio de 2020, atualizada a 20 julho de 2020", refere.

"No entanto, acrescenta "decorrente da decisão da Comissão Municipal de Proteção Civil, de remeter à Autoridade de Saúde para emissão de parecer vinculativo sobre o plano de contingência de cada evento, a realizar em equipamentos culturais do município e espaços públicos, e depois de ouvida a Senhora Coordenadora da Unidade de Saúde Pública, Dra. Fátima Dourado, no âmbito da Subcomissão de Acompanhamento da Situação Municipal COVID-19, informamos que «atendendo à situação epidemiológica da infeção por SARS-CoV-2 - pandemia COVID-19, em Guimarães, é de desaconselhar qualquer tipo de evento, devendo os mesmos ser adiados»".

"A Oficina vê-se, assim, obrigada a cancelar estes espetáculos, apesar do escrupuloso cumprimento da lei e das normas de segurança, que é reconhecido tanto pelos artistas como pelo público. A Oficina honrará todos os compromissos assumidos com os artistas e companhias dos espetáculos agora cancelados. A devolução do valor dos bilhetes adquiridos para os espetáculos encontra-se assegurada, podendo ser efetuada nos locais habituais de venda de ingressos d’A Oficina", acrescenta.

No comunicado, a Oficina "lamenta profundamente esta situação e os constrangimentos causados ao público, aos artistas, e a todas as equipas de trabalho envolvidas. Com determinação e persistência, compromete-se a manter a sua missão e o seu papel decisivo no desenvolvimento cultural da comunidade e do território".

em Cultura

Marcações: A Oficina, cancelamento, espectáculos

Imprimir