TAÇA - Derby minhoto ditou triunfo do Sp. de Braga

No jogo de desempate, o Vitória não conseguiu ludibriar o Sp. de Braga, a jogar no Estádio 1º de Maio, de modo a assegurar a presença na Taça de Portugal. Depois da igualdade consentida em casa, no tira teimas, os pupilos de Augusto Inácio reagiram tarde aos dois golos da equipa arsenalista. O golo do brasileiro Flamarion quase no cair do pano revelou-se insuficiente para garantir a passagem nesta eliminatória. No final da partida, muitos adeptos do Vitória que se deslocaram ao Estádio 1º de Maio, talvez tenham ficado a pensar que seria mais salutar terem passado o serão
confortavelmente instalados em casa, sentados num sofá e junto a um aquecedor. Numa partida que se previa, muito disputada e interessante, os jogadores parecem ter acusado os sintomas do frio. O Vitória não evidenciou argumentos para penetrar na defesa do Braga, revelando a ausência de energia necessária para enfrentar a equipa adversária.
O Sp. de Braga foi a primeira equipa a marcar por intermédio de Barata, um golo apontado ao 23º minuto. Até ao intervalo, o placard não sofreu alterações. Mas, à passagem do 59º minuto, o jogador que inaugurou o marcador voltou a bater Vitor Bruno, o substituto de Palatsi que se encontra lesionado.
O Vitória procurou reagir à desvantagem. Porém, as sucessivas investidas não surtiam efeito junto da baliza de Quim. O guarda-redes bracarense acabou por ser batido, já muito perto do apito final do árbitro Pedro Proença, de Lisboa. Na marcação de um livre indirecto, dentro da grande área, Flamarion aproveitou o passe do seu companheiro de equipa e desfez a desvantagem. Um golo apontado tarde demais para as aspirações vimaranenses.
No comentário à evolução dos acontecimentos, Augusto Inácio revelou que ficou agradado com a exibição e empenho da sua equipa, embora não tenha gostado do resultado. Por isso, confessou: "tenho de dar os parabéns ao Braga que foi um vencedor justo. Cometemos erros de pormenor e esses pagam-se caros. De qualquer forma, estou satisfeito com os meus jogadores porque demonstraram raça e atitude".
O técnico vitoriano não gostou do resultado. "Na primeira parte, controlámos e só houve um remate perigoso do Castanheira. Na segunda, entrámos bem, mas sofremos outro golo de pontapé de canto. Mudámos a estratégia, mas falhámos ao nível do passe. O nosso golo apareceu no fim e jogos como este é sempre complicado resolver assim", salientou Augusto Inácio, manifestando-se satisfeito com os seus jogadores que sabem assumir os "erros em conjunto".
Com a derrota do Vitória, o Taipas que milita na 2ª Divisão é o único clube a representar o Concelho na prova rainha do futebol português. A equipa de João Cardoso defronta esta quarta-feira o Estarreja, igualmente, em jogo de desempate dos 16 avos de final da Taça.

em Desporto

Marcações: Desporto

Imprimir