João Afonso: "Plantel é muito competitivo e ninguém pode relaxar"



O defesa-central João Afonso tem consciência que não se pode distrair, sob pena de perder o lugar no 11 que conquistou no arranque da temporada. Contra as expectativas, o jogador de Castelo Branco ganhou a confiança de Luís Castro, beneficiando das lesões de Osorio e Frederico Venâncio para formar dupla no eixo defensivo com Pedro Henrique. A titularidade deu-lhe mais confiança, como ressalvou numa entrevista concedida ao DESPORTIVO de Guimarães desta semana.

Depois do regresso a meio da época passada e agora com a continuidade, sente que está a ter uma segunda vida no Vitória?
Pode dizer-se que sim. Vistas as coisas dessa forma, pode dizer-se que sim.

Porque entretanto houve um interregno que motivou experiências diferentes.
Foi bom para mim, precisamente porque passei por experiências e realidades diferentes. Desde que saí de Castelo Branco, só tinha jogado no Vitória e em Espanha passei por outras realidades, com outros desenvolvimentos, o que pessoal e profissionalmente foi bom.

O Vitória reforçou-se na posição central da defesa com o Osorio e Venâncio. Pensar-se-ia que o João Afonso iria ter mais dificuldades em garantir um lugar no onze, mas este início de época está a provar o contrário.
O plantel é bastante equilibrado e essa competitividade positiva, em que há sempre respeito, é boa para a equipa. Trabalhamos à espera da oportunidade, para a agarrarmos quando ela surgir. No meu caso foi isso que se passou. Na 1.ª jornada houve infelicidade para dois colegas de sector, joguei e penso que estive à altura.

Estando ciente que não se pode olhar minimamente para trás nem se distrair, sob pena de perder o lugar a titular?
O plantel é muito sério no trabalho, muito competitivo e ninguém pode relaxar. À espreita temos colegas a trabalhar bem e muitas vezes o que dita as escolhas para a equipa titular são os jogos e os resultados. Todos, sem excepção, devem pensar desta forma e quem não está a jogar induz-nos essa desconfiança boa.

É uma época em que o João Afonso pretende atingir que nível do ponto de vista individual?
Só quero que seja uma época em que possa ajudar o clube a atingir os objectivos. Vou trabalhar como tenho feito, com o intuito de melhorar.

Ainda com a ideia de que há muito história para escrever neste clube?
Há momentos que às vezes definem a carreira dos jogadores. Vou trabalhar da mesma forma, como desde o primeiro dia em que cá cheguei. O meu objectivo, do fundo do coração, passa por ajudar. Depois, o futuro a Deus pertence e cá estaremos para ver.



Não existe aquele sonho de fazer bem aqui para poder ir para ali?
Não perco tempo com isso. Esta é a nossa casa e temos de a valorizar. Não sabemos o dia de amanhã, se vai ser melhor ou pior. No futebol, de repente tudo muda e prefiro pensar em ajudar da melhor forma que puder e que consiga.

Do ponto de vista colectivo é uma época de grandes ambições?
Ambições legítimas. O plantel é muito competitivo e tem muita qualidade futebolística e humana. Isso vai-nos permitir chegar aos nossos objectivos, que são um lugar europeu.

Muita dessa qualidade ainda não foi colocada em evidência?
Há ainda processos em que ainda estamos a limar arestas. Quando todos puserem todo o seu potencial e qualidade ao serviço da equipa e esta estiver toda ligada, vai ser muito bom de ver e de acompanhar.

Marcações: João Afonso, Vitória Sport Clube, entrevista, DESPORTIVO de Guimarães

Imprimir Email