Júlio Mendes: "O que fizemos foi em absoluta sintonia com o treinador"



O presidente do Vitória, Júlio Mendes, abordou, esta terça-feira, diversos temas da actualidade vitoriana. À margem da apresentação da apresentação da Comissão para a Revisão dos Estatutos, Júlio Mendes falou sobre o mercado, os objectivos do Vitória e Joseph.

Luta pela Europa com mais um candidato, o Moreirense: “A luta pela Europa é difícil para todos, não tem a ver com qualquer clube em particularizar. Não me parece que a posição na tabela no início da segunda volta possa ter alguma influência no nosso desiderato para a época, que passa por conseguir um lugar europeu, no posto mais alto possível. Falta muito campeonato, continuamos absolutamente otimistas sobre aquilo que propusemos aos sócios.”

Vitória mais forte depois do mercado de Inverno?: “O Vitória está forte desde o início. O Vitória acabou a volta no 5.º lugar, não fossem as vicissitudes que fui também dando nota pública relativamente a alguns erros que nos prejudicaram de forma muito impactante estaríamos numa classificação bem diferente, claramente em 4.º lugar. O núcleo fundamental foi mantido, fizemos um esforço enorme para manter os principais activos. Estivemos em sintonia com a equipa técnica. Tivemos a preocupação de colocar alguns jogadores para terem, mais minutos e valorizarem-se enquanto activos, para quando for oportuno regressarem ao Vitória ou então constituírem uma mais-valia do ponto de vista económico. Temos 24 jogadores, mas o que foi feito foi em absoluta sintonia com o treinador. Fomos buscar um reforço que consideramos importante, procuramos recrutar mais ou ou outro que fossem mais valias para o plantel, que estivessem dentro das capacidades do clube. O que se verificou ´é que os dois alvos que estavam perfeitamente identificados não vieram porque os clubes que têm direitos sobre eles não permitiram que tal acontecesse, senão eles teriam vindo. Isto não significa que não estamos fortes, 24 dão-nos qualidade para continuarmos a lutar pelos objectivos que nos propusemos.”

O mercado revelou-se caro?: “O mercado é sempre muito caro para todos os clubes. O que estava em cima da mesa eram valores altos, mas os processos não se concretizaram porque os clubes que detêm os direitos dos jogadores não quiseram fazer os negócios."

Krovicovic foi um dos casos?: “Não vou referir nomes.”

Esteve previsto acordo com Moreirense para cedência de Joseph: “O Vitória tem nas três equipas jogadores de muita qualidade. É natural que outros clubes nos abordem para reforçar os seus plantéis, assim como nós abordamos outros clubes. Não vou responder a essa questão do Moreirense. Quanto ao Joseph, não é uma surpresa para ninguém. Está no Vitória há muitos anos, sabemos a qualidade que ele tem. Há processos de crescimento dos jogadores, com o trabalho das equipas técnicas e das equipas de acompanhamento de outras áreas que também temos. Para mim não é surpresa que o Joseph apareça e que acabe por dar nas vistas. É o trabalho da cantera do Vitória. Alguns têm tendência para não ver, mas esta é uma prova do trabalho.”

É possível chegar ao 4.º lugar, depois de ganhar pontos ao Sporting nas duas últimas jornadas?: “Nós vamos lutar pelo melhor lugar possível. O nosso objectivo é um lugar europeu, se for o 5.º é o 5.º, se for o 4.,º vamos lutar pelo 4.º.”

Não chegar à Europa seria falhar um objectivo?: “Já falhamos dois objectivos, a Taça da Liga e a Taça de Portugal, pelos motivos que as pessoas sabem. Se não conseguirmos este objectivo será uma tristeza muito grande para nós, do nosso ponto de vista seria uma frustração.”

Média de espectadores tem aumentado este ano: “Deixa-me satisfeito e orgulhosos enquanto vitorianos. Esse crescimento é visível, deve-se a um trabalho que tem, sido feito ao longo dos anos em que temos estado à frente dos destinos do Vitória. É um indicador do trabalho que temos feito. Tanto falam de forma positivo e acabam por se perder por coisas laterais, muitas vezes fico frustrado por não verem o que acontece aqui no Estádio D. Afonso Henriques. Se querem um exemplo de futebol positivo, venham assistir aos jogos no Estádio D. Afonso Henriques.”

A que se refere?: “Quem estiver atento vai perceber o que estou a dizer.”

Quase um ano depois das eleições, que dividiram os sócios, como sente o clube: “O Vitória é um clube muito dinâmico e com uma expressão muito grande, é o quarto a nível nacional. Num clube com esta diversidade há sempre pontos de vista diferentes, isso significa uma riqueza mais do que uma dificuldade. A divisão que se sentiu no período eleitoral está esbatida, isso consegue-se ver no estádio que está sempre cheio a apoiar a equipa. Isso para mim é um indicador de que a família vitoriana voltou a unir-se. Temos consciência que temos de continuar a trabalhar, por isso constituímos a Comissão para a Revisão dos Estatutos, para os adequar à realidade deste grande clube. Não é possível ignorar que temos uma SAD. Temos de ter consciência que as coisas não são fáceis, não é à mesa de um café que se atiram ideias ,me se constrói um sonho, porque o sonho tem de estar dentro da realidade. Hoje o mundo é mais complexo, as redes sociais vieram introduzir um nível de complexidade ainda maior.”

Marcações: Júlio Mendes, Vitória Sport Clube, Luís Castro, Joseph

Imprimir Email