Luís Castro: "Começa a haver menos margem para descuidos"



O treinador do Vitória, Luís Castro, esteve na sala de imprensa da Academia para fazer a antevisão do jogo com o Boavista. Um dia antes da recepção aos 'axadrezados', o técnico abordou o encontro, prometendo uma equipa capaz de lutar pelos três pontos.

O jogo com o Boavista: “Um jogo muito importante, como vão ser todos até ao final do campeonato. Começa cada vez a haver menos margem para descuidos, as equipas começam a estar muito agressivas no campeonato, a tentar reduzir espaços uma às outras e isso cria mais dificuldades. Cada vez mais a dimensão mental vai ser decisiva nos jogos. Esperamos um jogo em que continuemos a fazer o caminho que temos feito defensivamente, mas que consigamos fazer muito mais do que temos feito até hoje em termos ofensivos.”

Admite abordagem estratégica ou de sistema de jogo para surpreender adversários?: “Nós não temos visto as equipas a mudarem muito ao longo do seu caminho. Não prevejo de forma inicial que o posso fazer, ao longo do jogo temos mudado, temos aparecido com um médio ofensivo mais perto do ponta, também já aparecemos com dois pontos. Já fizemos isso em situações pontuais, mas não de início. Não estou à espera que a equipa me leve a ter de percorrer outros caminhos no início dos jogos, mas se o tivermos de fazer estamos prontos.”

As baixas que tem tido no meio-campo condicionam as prestações da equipa ofensivamente?: “Sim, condiciona a estabilidade que as equipas necessitam de ter ao longo dos jogos. Infelizmente perdemos o Joseph no seu melhor período, perdemos também o André André num bom período. Temos perdido essa estabilidade, mas nunca foi por isso que deixamos de ir a jogo com a intenção de vencer. Mas, gostávamos mais de ter essa estabilidade na equipa. O nosso problema tem sido claramente o último terço, na criação e finalização não temos estado bem. Sabemos que é um défice nosso, temos lutado muito para que isso seja resolvido, infelizmente não temos conseguido. Os adversários têm sido muito robustos e densos no seu momento defensivo, criando dificuldades. Vamos continuar a trabalhar sempre na esperança de sermos cada vez melhores e resolvendo os problemas que aparecem. Mas, claramente gostava de não ter tido esse problema ao longo do campeonato, que tivesse um meio-campo mais estável, sem perder unidades em momentos em que estavam muito bem.”

Diferenças que espera com o Boavista?: “O Boavista é a oitava equipa menos batida do campeonato, o que mostra a sua solidez defensiva. Após a chegada do Lito fizeram três vitórias e um empate, perdendo agora os últimos jogos. Continua a ser uma equipa muito difícil e competitiva. Também o demonstramos ser, não da forma continuada como eu gostaria. Gostava de ter mais pontos, mais golos marcados, que este registo defensivo se prolongasse até ao fim. Vamos encontrar um Boavista a querer roubar espaços e a sair rápido para o ataque. Espero que possamos criar mais momentos de finalização.”

Vitória queixou-se do VAR na jornada passada, como aconteceu com o Boavista: “Uma ferramenta tão boa como é o VAR deve ser boa utilizada pelo futebol português e mundial. É uma ferramenta de grande apoio à equipa de arbitragem que está no terreno de jogo, uma boa análise é sempre uma ajuda eficaz e uma mais valia grande para a equipa de arbitragem, que fica sempre mais descansada porque os árbitros sabem que estão a ser checados por colegas que têm as imagens ampliadas, podem andar para a frente e para trás. Quando bem utilizada é uma ferramenta fantástica, quando mal utilizada vai ser sempre um polo de discórdia.

Marcações: Vitória Sport Clube, Boavista, Luís Castro

Imprimir Email