Luís Castro sobre o seu futuro: "Tenho contrato de mais um ano, espero cumpri-lo e ter o melhor desempenho possível"



Luís Castro voltou a falar sobre o seu futuro em Guimarães, depois de Júlio Mendes ter garantido que o técnico vai cumprir o segundo ano de contrato na temporada 2019/2020. Esta quinta-feira, em conferência de imprensa, o treinador asseverou que mantém a mesma determinação no trabalho.

Depois de se ter falado muito sobre o seu futuro no Vitória, o presidente clarificou a sua continuidade. Como interpreta as declarações?: “Eu sempre estive muito focado no Vitória, trabalhei sempre com muita dedicação e entusiasmo. É isso que vou continuar a fazer sempre. O presidente disse o que é um facto, que tenho contrato por mais uma época. Tenho o desempenho diário de acordo com o meu contrato, trabalho de forma dedicada, intensa e muito empenhada para tentar colocar o Vitória novamente na rota da Europa. Isso nem tem discussão, tenho contrato de mais um ano, espero cumpri-lo e ter o melhor desempenho possível. Quando nos é colocado um projecto, muitas pessoas dizem que valem o que valem. Para mim vale sempre muito um projecto, seja de oito dias ou de um ano ou dois. No futebol há vários tipos de projecto, nuns temos de construir para ganhar, noutros temos de ganhar para construir e há outros em que temos de construir a ganhar. O Vitória não está dissociado do que é comum, temos de construir a ganhar, o que espero continuar a fazer com mais regularidade do que foi nos últimos tempos, sendo mais um Vitória à imagem de Outubro, Novembro e Dezembro. Estamos num momento de grande aperto no campeonato, em que temos de unir esforços, em que precisamos do apoio de todos. A conquista vai ser de todos, não vai ser só de alguns. Uma ida à Liga Europa será sempre uma conquista da nação vitoriana, portanto precisamos de estar todos juntos para atacar os jogos que faltam com muita determinação.”

Consegue confirmar que vai continuar no Vitória?: "Nós, treinadores, saímos dos clubes quando há uma proposta financeiramente irrecusável para o clube ou- quando há uma contestação muito forte ao treinador pelo seu desempenho. Os treinadores continuam quando há um bom desempenho e um grande apelo de todos à continuidade e quando têm um contrato e ninguém paga a cláusula de rescisão. Há várias variáveis. Há uma coisa que sei, trabalho diariamente focado na instituição que represento. Não tenho minimamente a preocupação de quanto tempo vou estar no clube. A minha dedicação são os quatro jogos que temos pela frente, Sporting, Nacional, Belenenses e Moreirense. Olhamos para nossa vida de treinadores com muito prazer, é a melhor vida do mundo quando estamos a gan"har. Muitas vezes olho para a minha vida como a pior profissão do mundo, que é quando eu perco. É a pior profissão do mundo quando se perde, é a melhor do mundo quando se ganha."

Marcações: Júlio Mendes, Vitória Sport Clube, Luís Castro

Imprimir Email