Saída de Luís Castro rende um milhão de euros ao Vitória



Pode estar por horas o anúncio da contratação de Luís Castro pelos ucranianos do Shakhtar Donetsk. O clube que nas últimas épocas foi treinado pelo também português Paulo Fonseca, que está de saída para a AS Roma, já manifestou formalmente vontade de contratar o ainda treinador do Vitória. Tendo em conta que Luís Castro está ligado por mais um ano de contrato, a primeira abordagem do Shakhtar foi feita precisamente junto da SAD vitoriana.

Nessa abordagem, Júlio Mendes, presidente demissionário, fez imediatamente questão de informar os ucranianos que só aceita libertar Luís Castro se for paga a cláusula de rescisão, no valor aproximado de um milhão de euros. Uma exigência que não deve travar a intenção do Shakhtar, pelo que nesta altura faltará apenas o sim de Luís Castro. O treinador que apurou o Vitória para a Liga Europa tem uma grande oportunidade, quer desportiva quer financeira, que desta feita não deve recusar - em Dezembro rejeitou o Reading. A indefinição directiva em torno do Vitória também deverá induzir Luís Castro no sentido de aceitar a proposta para treinar o campeão da Ucrânia.

Com a saída de Luís Castro muito perto de acontecer, o Vitória tem um problema em mãos a poucos dias da equipa se apresentar ao trabalho para iniciar a pré-temporada - o regresso está agendado para o dia 24 de Junho. A SAD liderada por Júlio Mendes, que está demissionário, terá de arranjar uma solução praticamente em contra-relógio. Nesta equação entram, obviamente, alguns nomes que podem enquadrar-se no projecto que, afinal de contas, a actual Direcção está (estava) a implementar com Luís Castro. Desde logo o de Ivo Vieira, que após a saída do Moreirense não encontrou ainda colocação. O trabalho realizado pelo madeirense na última temporada chamou a atenção dos agentes desportivos e a concretizar-se a saída de Castro a possibilidade de Ivo ser o sucessor ganha força. Há ainda Pepa, que deixou o Tondela; Domingos Paciência e João Henriques, actual treinador do Santa Clara. 

Certo é que, apesar de estar demissionária, a Direcção de Júlio Mendes sente ter toda a legitimidade para tratar deste processo, a par da construção do plantel que vai representar o Vitória na próxima época.

Marcações: Vitória Sport Clube, Luís Castro, Shakhtar Donetsk

Imprimir Email