Luís Castro: "As saudades que tenho pelo Vitória vou transportar comigo pela vida fora"



Luís Castro leva o Vitória no coração. O novo treinador do Shakhtar Donetsk deixa Guimarães com a sensação de dever cumprido.
Depois de ter oficializado o acordo com o campeão da Ucrânia, Luís Castro concedeu uma entrevista ao Grupo Santiago, a partir de Kiev.

“Levo o Vitória no coração, como já estava desde que aí joguei há tantos anos atrás. Voltei a sentir as mesmas sensações, uma massa adepta muito apaixonada, as pessoas que trabalham no clube sempre muito empenhadas em dar o melhor de si e sempre a perceberemos todos, mesmo os adeptos mais fervorosos, que o que dia de amanhã será sempre melhor que o de hoje. Levo recordações muito boas do clube. Claro que houve momentos muito difíceis, tive a oportunidade de o dizer ao longo da época. Nunca escondi que estava a ser uma época muito difícil, mas que iríamos trabalhar muito para atingir os objectivos. Percebemos sempre que o campeonato seria de extrema competitividade, mas conseguimos ultrapassar adversários e chegar ao objectivo fundamental da época, que passava por chegar às competições europeias. Conseguimos ficar no top-5 e não foi obra do treinador, não foi obra dos jogadores, não foi obra da Administração ou dos adeptos, mas sim de todos nós juntos. Todos nós juntos trabalhamos para que isto acontecesse. Fiquei muito feliz por termos chegado ao 5.º lugar”, afirmou.

Luís Castro deixou o Vitória no final do primeiro de dois anos de contrato. O treinador espera que o clube possa continuar a crescer nos próximos anos: “Espero que o Vitória continue nesse caminho de querer ser melhor todos os dias, porque é uma instituição com muitos anos em cima. Muita gente conquistou muitas coisas e os que vêm têm de ter isso como uma referência, as conquistas. Somos uma instituição de conquistadores e nunca devemos fugir a essa palavra. Espero que o Vitória conquiste a paz necessária para seguir em frente e que seja uma realidade do seu crescimento em cada dia que passa. A cidade merece, os vitorianos merecem e o país está à espera que o Vitória se afirme de vez como uma equipa que esteja sempre, sempre nas competições europeias. O Vitória tem atrás dele uma massa adepta muito apaixonada. Quando gostamos muito de algo, por vezes perdemos algum equilíbrio. Às vezes desiquilibramo-nos, a massa adepta também, muito por culpa do amor ao Vitória. Quando é por amor, tudo é perdoado.”

A saída de Luís Castro acontece num contexto de muitas mudanças no Vitória, que vive um período eleitoral. O ex-treinador vitoriano espera que a próxima Direcção esteja à altura da responsabilidade do clube. “Sempre fiquei à margem da questão das eleições, sempre estive em silêncio. Vivi o 25 de Abril com tenra idade, mas com idade suficiente para respeitar a escolha de um povo em relação ao futuro do país. Também vou respeitar muito tudo aquilo que é a escolha da massa adepta do Vitória para o futuro do clube. O que digo é que é um acto de grande, grande responsabilidade, que os sócios afluam às eleições por forma a deixar bem claro todo o amor que têm pelo Vitória. A lista que for eleita que faça aquilo que todos têm feito quando chegam ao Vitória, que é trabalhar com muito amor e determinação pelo engrandecimento do clube.”

“Espero também, sempre, que quando visitar a cidade de Guimarães que me sinta tão bem nela quanto me senti passei aí como jogador e treinador. As saudades que tenho pelo Vitória vou transportar comigo pela vida fora, porque foram momentos inesquecíveis. Alguns podem olhar para mim e não ter essa ideia, devido à minha frieza, aos momentos em que não sou tão emocional. Mas, sou emocional e tenho uma relação muito emocional com o Vitória, que esteve nos momentos decisivos da minha vida, fundamentalmente neste em que dei um passo de gigante na minha carreira”, acrescentou.

Marcações: Vitória Sport Clube, Luís Castro

Imprimir Email