João Sousa "muito orgulhoso" de uma vitória que lhe permite "fazer história" para Portugal



João Sousa, que este sábado se apurou para os oitavos-de-final do torneio de Wimbledon, terceiro Grand Slam do ano, disse estar "muito orgulhoso" de uma vitória que lhe permite "fazer história" para Portugal.

O atleta vimaranense de 30 anos reagia à vitória sobre o britânico Daniel Evans, um "sonho realizado" em poder chegar à quarta ronda de Wimbledon, igualando o melhor resultado que já tem em torneios do Grand Slam, depois dos 'oitavos' do US Open em 2018. Esta é também a primeira vez que um português chega tão longe em Wimbledon, razão pela qual Sousa se mostrou "muito orgulhoso", pela vitória e por "ser português", depois de "uma grande batalha em que o Dan fez um jogo incrível".

O vimaranense elogiou o adversário e o "público incrível", mesmo que tenham estado mais do lado do adversário, a jogar 'em casa', e definiu a capacidade de "concentração e querer dar o melhor" como fatores para conseguir este resultado.

Na próxima ronda, vai defrontar o espanhol Rafael Nadal, segundo da hierarquia mundial, um jogador para quem "não há palavras". "É fantástico. Devo ter outra vez o público contra mim, mas vou dar o meu melhor e tentar ganhar", atirou. Por agora, terá de "descansar e desfrutar de uma vitória difícil", que apelidou de "uma grande batalha", tendo durado quatro horas e três minutos, antes de disputar o acesso aos quartos-de-final.

O luso e 69.º posicionado no ranking ATP, que na fase anterior já tinha eliminado o croata Marin Cilic, 18.º jogador mundial, afastou o 61.º posicionado Daniel Evans pelos parciais de 4-6, 6-4, 7-5, 4-6 e 6-4. Na próxima fase, vai defrontar o espanhol Rafael Nadal, antigo líder mundial e campeão no All England Club em 2008 e 2010.

Por Lusa

em Desporto

Marcações: João Sousa, ténis, ATP, Wimbledon

Imprimir