Hélder Freitas substitui Francisco Costa e Silva na presidência do Gonça



Hélder Freitas assumiu a presidência do Gonça, depois de Francisco Costa e Silva ter abdicado do cargo. O ex-presidente não deixou os Órgãos Sociais, passou a ser vice-presidente da Assembleia Geral, mas decidiu afastar-se da Direcção. “Como já integrava a Direcção, disponibilizei-me a ficar no lugar do Francisco, que a seu tempo irá explicar os motivos da sua saída. Alguém tinha de dar continuidade ao trabalho que estava a ser realizado e por isso aceitei o desafio que o anterior presidente me lançou. Não podíamos parar, porque temos dado muito ao clube. Estamos todos envolvidos no mesmo espírito, por isso temos de concluir esta época. Depois logo se verá”, disse Hélder Freitas ao DESPORTIVO de Guimarães, sem pretender alongar-se mais sobre o tema.

O novo presidente do Gonça recebeu do seu antecessor o processo de melhoria das infira-estruturas, com a construção do relvado. Promessa antiga da Câmara Municipal, que Hélder Feitas crê que "será cumprida". "Temos de acreditar", notou o dirigente. "A promessa foi feita. Da nossa parte, estamos a fazer tudo para que nada falhe, com muito trabalho que nos sai do corpo. Há outras partes que estão a falhar, mas vamos tentar resolver isso. Vai dar trabalho. Se outros conseguiram, também vamos conseguir. O que nos propuseram é que devemos ter camadas jovens. Mas, com este pelado como é que temos condições para promover a formação? Outros clubes também não têm camadas jovens e tiveram o apoio da Câmara Municipal para construirem os seus relvados. Por isso, esse argumento cai por terra. Foram construídos sintéticos a cerca de 500 metros de outros..."
Hélder Freitas reconhece que o facto de não ter o mesmo tipo de infira-estruturas de outros clubes "dificulta, e muito, a tarefa do Gonça. Só foi possível fazer este plantel pelo empenho das pessoas do clube. É muito difícil convencer os jogadores a mudarem-se para o nosso clube. Por isso é que apelamos às entidade competentes para abrirem os olhos e verem as condições que nós temos. Somos um clube histórico, se calhar o único do país fundado por uma mulher. Mas, estamos a ser deixados para trás. Prometemos aos nossos sócios que não deixaremos de trabalhar para que esta ambição de ter um sintético se torne realidade."

Marcações: Associação de Futebol de Braga, AC Gonça

Imprimir Email