Ivo Vieira: "Ganham-se lugares e perdem-se lugares nestes jogos"



Ivo Vieira esteve na sala de imprensa da Academia do Vitória, ao final da manhã, para a antevisão do jogo com o Sintra Football, da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal. O técnico vitoriano alertou para a necessidade dos jogadores respeitarem o adversário para evitar qualquer surpresa:

Jogo da Taça com o Sintra Football: “O nosso objectivo passa por vencer e passar a eliminatória. O Sintra vai estar extremamente motivado, a jogar na sua casa. A questão do sintético temos de interpretar de ânimo leve, não pode ser um problema ou refúgio. Vai ser um jogo com uma equipa extremamente motivada, aliciante para os mesmos, mas para nós também é fundamental para poderemos criar objectivos futuros na competição.”

Jogo com o Arsenal pode desviar o foco?: “Não. Os jogadores têm conhecimento que quem não andar da perna contra o Sintra não o pode fazer contra o Arsenal. O meu foco tem de ser única e exclusivamente para o jogo com o Sintra. Vamos apresentar uma equipa forte, a mais competitiva neste momento. Vamos com o objecivo de vencer, respeitando o adversário, sabendo que estas equipas nos podem criar problemas. Para conquistarmos alguma coisa tivermos de dar passos e e este é o primeiro passo nesta competição.”

Que resposta depois da paragem?: “Não tenho tendência para mudar o discurso pelos resultados ou passar dos dias. Se ganharmos, a paragem foi vantajosa, se não ganharmos foi prejudicial porque vínhamos num ritmo fantástico. Estávamos habituados a jogar muitas vezes, deve ser assim. A paragem pode ser benéfica para recuperar alguns atletas dos muitos que estão lesionados, foi uma janela para ganhar tempo na recuperação. Quanto à competição, o que é fundamental é o comportamento dos jogadores. Temos de ser competitivos, atacar a baliza do adversário.”

Jogo contra adversário de escalão inferior, como se lida: “Defendo que o treinador que conseguir entrar na mente dos atletas e acrescentar algo mais no sentido competitivo vai sair por cima. É um desafio que os treinadores têm, porque o subconsciente dos atletas é gigantesco e consegue apoderar-se da mente e do corpo. Muitas vezes interpreta-se estes jogos com alguma sobranceria, temos de dizer aos jogadores que assim vai ser mais difícil. Não podemos facilitar. As nossas intenções muitas vezes não são suficientes, os comportamentos é que vão ditar o que o treinador passou para os jogadores. Eles sabem os riscos que correm se não tiverem um comportamento de seriedade. Ganham-se lugares e perdem-se lugares nestes jogos. Só quem andar no jogo é que vai manter o seu lugar.”

O que vale o Sintra Football: “Muito sinceramente, o meu foco não passa pelos jogadores a nível individual, houve um trabalho exaustivo da nossa equipa para perceber o adversário. Interpretamos a equipa em prol dos comportamentos do adversário, independentemente de quem possa jogar. Tem atletas que passaram por divisões mais competitivas, que trazem mais serenidade. É uma equipa competitiva, que nos vai criar dificuldades num piso em que estão mais habituados. Vamos ter de nos adaptar ao sintético. A irregularidade do mesmo pode trazer alguma dificuldade ao jogo. Sabemos de antemão que vamos ter dificuldades e só se formos muito competitivos e concentrados é que o podemos ganhar”.

Marcações: Vitória Sport Clube, Taça de Portugal, Sintra Football

Imprimir Email