Pevidém tem “certamente um dos piores” parques de jogos do distrito de Braga.



O presidente do Pevidém, Rui Machado, entende que o clube tem “certamente um dos piores” parques de jogos do distrito de Braga.
No balanço do ano de 2019, marcado pela inédita conquista da Taça Associação de Futebol de Braga e pela presença na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, o dirigente traça um cenário negro no panorama actual do clube no capítulo das infra-estruturas.

Desde logo, num texto assinado por si na página da rede social Facebook, Rui Machado afirma que o Pevidém “não tem espaços para jogos e treinos da nossa formação e da nossa equipa B, o que nos obriga a custos elevados de aluguer”, além de que não possui “meios económicos para manter o nosso relvado natural em condições aceitáveis.” Segundo o presidente do Pevidém, os balneários do Parque de Jogos Albano Coelho Lima são “miseráveis” e a “sala de fisioterapia minúscula e sem condições e equipamentos.” Mas, as carências vão mais além: “as casas de banho impróprias para os nossos adeptos (principalmente para as senhoras); bancadas a desfazerem-se; campo de futebol 7 sem vedação, com riscos de nova derrocada e perigo para a integridade física dos nossos atletas; rouparia por baixo da bancada sem condições; falta de água para rega apesar do investimento em novo furo; iluminação deficiente e ineficiente; bar indigno do nome num contentor; sede num (outro) contentor alugado; nenhum espaço para projecção de imagens, conferências de imprensa ou reunião de Direcção; nenhum espaço para modalidades; falta de espaços para estacionamento (os atletas e treinadores utilizam a via pública e os autocarros não conseguem chegar perto do campo).” Por isso, resume Rui Machado, “não é um campo. É um acampamento.”
O presidente do Pevidém acrescenta que “a Junta de Freguesia está atenta e tem demonstrado apoio às nossas reinvidações” e que a Câmara Municipal de Guimarães “tem repetidamente demonstrado vontade política e o processo de legalização está terminado, ficando a faltar a celebração do contrato de direito de superfície. Pois agora, chegou a vez de passar das intenções à acção. Pevidém merece. O clube merece.”

No mesmo texto, Rui Machado manifesta o desejo de que o ano de 2020 seja de “consolidação de processos, conquistas desportivas e de crescimento qualitativo”, apontando os principais desafios a vencer: certificação da formação; subir o clube ao Campeonato de Portugal e revalidar a vitória na Taça Associação de Futebol de Braga; subir a equipa B à Divisão de Honra; subir pelo menos um escalão de futebol 11; dotar o clube de mais receitas próprias; angariar mais patrocinadores locais; renumerar o cadastro de associados; reavivar o futebol feminino e a criação de pelo menos outra modalidade.

Marcações: Pevidém Sport Clube, Rui Machado

Imprimir Email