Derrota com FC Porto envolta em polémica afasta Vitória da final da Taça da Liga



O Vitória falhou o acesso à final da Taça da Liga, ao perder com o FC Porto, por 2-1, a segunda meia-final da Final 4, que se disputa no Estádio Municipal de Braga.
Depois de se ter adiantado no marcador, com um golo de Tapsoba, aos 64 minutos, a equipa de Ivo Vieira permitiu a reviravolta dos portistas, que marcaram por Alex Telles (65’) e Soares (74’)

No decorrer dos primeiros 45 minutos, o Vitória apenas conseguiu criar perigo junto da baliza de Diogo Costa por uma vez, já no tempo de compensação, num remate de Davidson que saiu por cima da trave. Já o guarda-redes Douglas teve mais trabalho para travar remates de Marega (20’ e 32’) e Mbemba (42’) que levavam a direcção da sua baliza.

O segundo tempo trouxe um Vitória mais atrevido, que se adiantou no marcador aos 64 minutos. Tapsoba voltou a ser exímio da marca de penálti, depois de Jorge Sousa ter assinalado uma falta de Soares sobre Bonatini. Contudo, os vitorianos tiveram pouco tempo para festejar, uma vez que no ataque seguinte o FC Porto restabeleceu a igualdade, com um golo de Alex Telles (65’). Os portistas consumaram a reviravolta por Soares, aos 74 minutos.

Em desvantagem, Ivo Vieira reforçou o ataque com as entradas de João Pedro e Rochinha, mas o Vitória não conseguiu inverter o rumo do jogo, ainda que Davidson tenha obrigado Diogo Leite a uma das melhores defesas da partida, aos 84 minutos.

Já no quinto minuto do tempo de compensação, João Pedro marcou o golo que seria o do empate do Vitória. Depois dos festejos vitorianos, Jorge Sousa recorreu ao VAR para analisar o lance e acabou por assinalar uma infracção do avançado sobre o guarda-redes portista. Decisão muito contestada pelos vitorianos, que instantes antes festejaram de forma efusiva o golo do empate.

Com a condução do árbitro Jorge Sousa, as duas equipas alinharam com:
VITÓRIA: Douglas; Victor Garcia (Rochinha, 83’), Tapsoba, Pedro Henrique e Florent; Pêpê Rodrigues, André André (Poha, 71’) e Lucas Evangelista (João Pedro, 77’); Marcus Edwards, Davidson e Bonatini.
FC PORTO: Diogo Costa; Corona, Iván Marcano, Mbemba e Alex Telles; Uribe (Manafá, 68’), Sérgio Oliveira, Otávio (Vítor Ferreira, 86’) e Luís Díaz; Marega (Romário Baró, 77’) e Soares.

JOGO PARADO UM MINUTO DEVIDO A ARREMESSO DE TOCHAS
O árbitro Jorge Sousa interrompeu o encontro durante um minuto, no primeiro tempo, na sequência do arremesso de tochas para o relvado, provenientes da bancada em que se encontravam os adeptos do Vitória. Foram deflagradas cerca de uma dezena de tochas e cinco chegaram ao relvado, motivando a intervenção do árbitro. O Vitória não escapará a uma multa da Liga de Clubes, que tinha alertado para a segurança apertada para evitar este tipo de comportamentos.

VITÓRIA EM MAIORIA NAS BANCADAS COM ASSISTÊNCIA DE 13.102 ADEPTOS
A segunda meia-final da Taça da Liga levou ao Estádio Municipal de Braga 13.102 adeptos, de acordo com os números oficiais. Os vitorianos estiveram em clara maioria, por comparação com os adeptos do FC Porto. A bancada destinadas aos adeptos do Vitória era a que se apresentava melhor composta, com cerca de 8 a 9 mil pessoas.
A maioria dos adeptos viajaram para Braga em autocarros, numa operação logística complexa. Apesar do ‘comboio’ de autocarros ter chegado ao estádio a cerca de 40 minutos do arranque da partida, os vitorianos entraram quase todos a tempo de assistir ao arranque da partida.

Marcações: Vitória Sport Clube, Taça da Liga

Imprimir Email