11.ª edição da Liga Mini não terá carácter competitivo



A 11.ª edição da Liga Mini foi apresentada esta terça-feira, numa conferência de imprensa apadrinhada pelos capitães do Vitória e Moreirense, o médio André André e o defesa João Aurélio.

A competição destinada a equipas sub-7 e sub-9 do concelho de Guimarães, organizada em conjunto pela Câmara Municipal e a cooperativa Tempo Livre, apresenta uma novidade na edição de 2020: não haverá atribuição de pontos, nem será estabelecida uma classificação oficial. “Trata-se de um sistema diferente. Pela primeira vez a Liga Mini não terá um carácter competitivo, não terá classificação, o foco não será o resultado, mas sim diferentes vertentes que serão abordadas ao longo das nove jornadas”, revelou Sérgio Abreu, da Tempo Livre, que notou “a mesma adesão” dos clubes vimaranenses.

O Vereador com o pelouro do Desporto, Ricardo Costa, abordou “a necessidade de dar uma nova roupagem” à Liga Mini. “Esta competitividade existe noutras dimensões. Achei que era hora de mudar a dimensão desta Liga Mini. Temos de olhar para o crescimento do atleta enquanto homem, por isso temos de olhar para o desporto como uma forma de ajudar as nossas crianças a crescerem. Às vezes não temos noção da frustração do resultado de um jogo, para uma criança isso tem um simbolismo muito carregado e por isso tínhamos de ser capazes de alterar esta dimensão competitiva. Obviamente todos vão querer ganhar, mas é importante terem estes temas associados aos jogos.”

Presente nesta iniciativa, o capitão do Vitória, André André, afirmou que a Liga Mini “é uma competição que gostava de ter tido quando era criança. Nestas idades é difícil encontrar competição. Para os miúdos também é importante terem jogos, que são diferentes dos treinos. Nas camadas jovens também aprendemos a ser homens, se ensinarmos esses fundamentos aos jovens isso será muito bom para o seu futuro.”

Ao seu lado, João Aurélio, capitão do Moreirense, ressalvou a ideia de que “a Câmara Municipal está de parabéns por criar esta iniciativa para as crianças. Na nossa infância os resultados não contavam muito. Queremos sempre ganhar, mas o mais importante é que as crianças se divirtam. Sou muito apologista do futebol de rua. Se calhar o André também pode dizer que os seus melhores momentos foram nos jogos de futebol à porta de casa, com os amigos, sem responsabilidades. É aí que nasce o 'bichinho' para o futebol, que depois queremos levar mais a sério.”

Com 22 clubes inscritos, num total de 800 atletas, a Liga Mini arranca no dia 15 de Fevereiro e prolonga-se por nove fins-de-semana, sempre com temáticas diferentes, aliadas à competição.

Marcações: Câmara Municipal de Guimarães, Tempo Livre, Liga Mini

Imprimir Email