Adeptos do Vitória avançam com protestos mas Movimento Estádio Zero será implementado na próxima época



Um grupo de adeptos do Vitória esteve reunido, na noite de domingo, para discutir as formas de protesto para o jogo com o FC Porto, da 21.ª jornada, marcado para o próximo domingo. Na origem deste encontro, que juntou sócios anónimos e representantes da claque White Angels, esteve a ideia lançada pelo Movimento Estádio Zero, que, originalmente, pretendia avançar com a iniciativa na partida com o FC Porto.

Do encontro, que teve lugar no Café Milenário, saiu a certeza que este grupo de adeptos pretende avançar com a iniciativa em questão, mas que tal apenas deverá acontecer na próxima temporada, uma vez que há um longo caminho pela frente para sensibilizar os adeptos. “Foi um encontro espontâneo, de vitorianos de várias idades, que querem agir porque não estão contentes com este estado de coisas”, contou Ricardo Silva, um dos associados que têm estado activos na divulgação das acções de protesto. “Este Movimento Estádio Zero poderá ser uma realidade, mas tudo terá de ser bem trabalhado. Chegou-se à conclusão que a ideia terá impacto, que é boa, mas que terá de ser trabalhada e divulgada por todos. As pessoas têm de perceber que não queremos virar as costas ao clube, mas sim que pretendemos criar um clima de união”, acrescentou.

Na próxima temporada, o Movimento Estádio Zero pretende implementar esta iniciativa. A ideia passa por, primeiro, encher as bancadas num jogo com um dos chamados três grandes. Depois, aos 12 minutos, todos os associados devem abandonar o Estádio D. Afonso Henriques, em sinal de protesto. “É uma ideia bastante fracturante, há muita gente que não concorda. Por isso, tem de ser tudo muito trabalhado. Será um protesto que as televisões não conseguirão não mostrar”, explicou ainda Ricardo Silva.

Para o encontro com o FC Porto vão ser preparadas outras iniciativas. A ideia de organizar uma marcha de protesto continua de pé. Nas bancadas do Estádio D. Afonso Henriques serão apresentadas mensagens que têm o objectivo de mostrar a união dos adeptos em torno da ideia de que o Vitória tem sido constantemente prejudicado pelas instâncias que gerem o futebol nacional. De acordo com Ricardo Silva passa por mostrar que “os adeptos estão todos unidos em torno deste protesto. Queremos passar essa mensagem de união, que não são apenas os grupos organizados. Os sócios anónimos querem mostrar que têm força de protesto, que estão muito descontentes com a forma como o Vitória tem sido tratado”, finalizou.

Marcações: adeptos, Vitória Sport Clube

Imprimir Email