Xico Andebol inicia Fase Final da 2.ª Divisão "com uma vontade firme de encurtar" desvantagem



Depois de ter assegurado a presença na Fase Final da 2.ª Divisão, o Xico Andebol inicia no próximo fim-de-semana a caminhada que o pode conduzir de regresso ao principal campeonato nacional. O clube vimaranense tem pela frente uma tarefa hercúlea para encurtar distâncias para o topo da tabela classificativa e assim entrar na luta pelos dois primeiros lugares, os únicos que dão acesso à 1.ª Divisão.

“Cientes da responsabilidade, do símbolo que pontua o i do Xico e da cidade de Guimarães que representamos, vamos iniciar esta fase de apuramento do campeão nacional com uma vontade firme de encurtar a vantagem, que o grupo da frente leva de quatro pontos”, afirma o presidente do Xico Andebol, Diogo Leite Ribeiro, sem, no entanto, assumir vincadamente que a principal meta passa por subir de divisão. Ainda assim, reconheceu que um histórico como o Xico Andebol tem maiores responsabilidades nesta luta. “Naturalmente, que temos uma história de que muito nos orgulhamos e de que na formação temos a ambição de ser dos melhores e quem sabe repetir títulos de campeões nacionais. Por isso, todos os jovens na sua formação ficam a conhecer a fibra de que é feito um atleta do Xico e conhecendo o passado, reconhecem por exemplo o enorme mérito que foi a conquista da Taça de Portugal que mora nas nossas vitrines, tudo fazem por ganhar ao Xico Andebol. Ganhar ao Xico não é o mesmo que vencer muitos outros clubes, pelo que a nossa responsabilidade é acrescida”.

No contexto actual do clube, com as suas naturais limitações, assim como no cenário que se vive na 1.ª Divisão, impõe-se uma questão: será, ou não, benéfico para o Xico Andebol subir um patamar? A resposta de Diogo Leite Ribeiro é esclarecedora: “Esse é outro assunto. Hoje em dia a decaláge entre os três clubes da frente é abissal, depois existe um segundo grupo de nove clubes que está subdivido pela metade e em que vão flutuando uma ou outra equipa, e, por fim, de modo isolado, estão os dois clubes que subiram. O que quer dizer que, ou passamos a proteger os clubes de formação como sempre foi e é o Xico Andebol, ou a nossa progressão encontrará sempre degraus inultrapassáveis a curto prazo. Eu não posso investir milhares de euros na formação de um atleta, que atinge o patamar da Selecção Nacional de sub-19, já joga nos seniores e logo segue para outro clube, sem qualquer compensação para nós. Assim, nos moldes actuais, ou o Xico Andebol encontra um mecenas, ou a Câmara Munipal de Guimarães define este projecto como vencedor e apoia à semelhança do que tem feito com outros clubes - libertando os enormes encargos do Pavilhão do DFH - ou comigo nunca hipotecaremos o futuro e o trabalho feito na formação”.

Ainda assim, nota o presidente do Xico Andebol, a presença na Fase Final mostra a evolução da equipa sénior no último ano, depois de na época passada ter falhado esse objectivo. “Vejam a competitividade da 2.ª Divisão em que a Zona Norte levou as duas equipas para a 1.ª Divisão! Sinal do melhor andebol que por aqui se joga. Por outro lado, as derrotas que sofremos foi com o Póvoa Andebol e no pavilhão do FC Porto B, pois na jornada inicial foi um arranque a frio e no Arsenal um acidente de percurso. Temos um percurso quase sem mácula, mas só na última jornada confirmámos o apuramento. Com segurança se pode dizer que este grupo de treinadores, atletas, fisioterapeutas e directores é do melhor que há e todos têm o espírito que pretendemos para o Xico Andebol. É um grupo de jovens que treinam diariamente como profissionais e em que o clube retribui com condições de treino. O crescimento para este ano é enorme”, finaliza Diogo Ribeiro.

Marcações: Xico Andebol, andebol

Imprimir Email