Diferendo por Tapsoba levou Leixões a pedir à Liga para impedir Vitória de inscrever novos jogadores



O presidente do Leixões, Paulo Lopo, revelou que o clube de Matosinhos apresentou queixas em três instituições diferentes, no âmbito do caso Tapsoba.
O diferendo em torno da transferência do defesa-central para o Bayer Leverkusen, da Alemanha, apenas deverá ser solucionado após as decisões da Liga, FIFA e UEFA, uma vez que Paulo Lopo continua a defender que a SAD do Leixões tem direito a 20 por cento do valor da venda efectuada pelo Vitória, no final do mês de Janeiro.

Em declarações ao jornal 'Record', Paulo Lopo dá conta que Leixões pediu “coisas diferentes” nas três queixas que apresentou. Junto da FIFA e UEFA, o emblema de Matosinhos solicitou que o Vitória seja penalizado “por falsas declarações e por não cumprimento do que estava acordado”, enquanto que na Liga pediu “um impedimento puro e duro, um impedimento de inscrever jogadores.” “Pelas leis da FIFA, prestar falsas declarações pode levantar impedimentos ao Vitória de inscrição em provas da UEFA”, disse Paulo Lopo.

O presidente do Leixões acusa ainda o Vitória de ainda não ter pago qualquer valor da verba a que os matosinhenses têm direito, concretamente relativa aos 5 por cento que ficaram na sua posse, ressalvando a ideia de que “o primeiro proveito que o Vitória tira disto tudo é que recebeu o dinheiro na totalidade e ainda nos pagou rigorosamente nada.”

A polémica em torno da posse de parte do passe de Edmond Tapsoba, defesa-central que o Vitória vendeu ao Bayer Leverkusen, da Alemanha, por 18 milhões de euros (mais sete por objectivos) nasceu a partir do momento em que os responsáveis do Leixões argumentaram que não foi efectivada a venda ao Vitória de mais 20 por cento dos direitos económicos que detinham, do total de 25 por cento na sua posse.

Por seu turno, a SAD vitoriana defendeu que accionou, em devido tempo, a possibilidade de adquirir mais 20 por cento dos direitos económicos que o Leixões ainda detinha, conforme havia ficado estipulado entre os dois clubes aquando da transferência de Tapsoba para Guimarães. No documento enviado para o clube de Matosinhos era assumida essa intenção e solicitado ao Leixões que indicasse o meio de pagamento, ou seja, exerceu-se um direito potestativo.

Marcações: Vitória Sport Clube, Edmond Tapsoba, Leixões SC

Imprimir Email