Médico do Moreirense revela: "Atletas têm de responder diariamente com as perguntas obrigatórias do coronavírus"



O médico do Moreirense, Marco Oliveira, revelou que o clube “adotou medidas que vão de encontro às indicações dadas pela Comissão Permanente da Liga Portugal.”

Em entrevista ao site da Liga Portugal, o clínico notou que “a indicação para o confinamento no domicílio e para os atletas saírem de casa unicamente em duas situações: adquirir bens essenciais e no caso de algum problema de saúde grave. Nós alertamos atletas todos os dias para os sinais e sintomas que o COVID-19 pode dar. Criamos, inclusive, um questionário que os atletas têm de responder diariamente com as perguntas obrigatórias do coronavírus: se tem tosse, febre, mialgias…e este questionário é extensível à equipa técnica, staff e estrutura, de forma a conseguirmos tirar uma fotografia ao estado do clube.”

Marco Oliveira salientou que os jogadores do Moreirense “estão a cumprir um plano específico e rigoroso no domicílio, elaborado pela equipa técnica, em conjunto com o nosso Departamento de Performance. Aquando da entrada do estado de alerta, nós percebemos imediatamente que numa questão de dias iríamos entrar num estado de emergência e, portanto, rapidamente apetrechamos as casas de todos os jogadores com material próprio para poderem ter uma atividade desportiva e um plano condizente, como atletas de alta competição que são. E têm um programa semanal, um microciclo, semelhante e com a mesma rotina diária que teriam caso estivessem a treinar. Obviamente que não é o mesmo tipo de estímulo, mas permite manter as rotinas e algum condicionamento cardiorrespiratório.”

“O nosso Departamento Médico é um departamento que nós agora denominamos de Saúde e Performance. É constituído por dois médicos, por mim e pelo Dr. João Moura, por dois fisioterapeutas, o Mário Correia e o Rui Magalhães, um massagista, o Carlos Machado, por um nutricionista, que é o Dr. Fernando Ribeiro, por um psicólogo, que é o Dr. Daniel Pereira, e por dois fisiologistas, que são o Fábio Campos e o Pedro Mesquita. E, portanto, tanto nesta altura em que estamos de quarentena, confinados ao domicílio, como antes e certamente depois disto, procuramos manter os atletas ocupados e estimulados, quer a nível físico, quer a nível mental. Convém referir que, antes de ser decretado o estado de emergência, e isto é um reconhecimento que devemos fazer ao Moreirense FC e nomeadamente ao Presidente, o senhor Vítor Magalhães, nós, no espaço de dois/três dias, conseguimos apetrechar a casa dos atletas com bicicletas estáticas, elásticos TRX, colchões, halteres, pesos. Tudo para que eles possam fazer um treino com o mínimo de condições e manterem algum condicionamento muscular e cardiorrespiratório. Para além disso, os nossos atletas lesionados estão em permanente contacto connosco e com os nossos fisioterapeutas, cumprindo um plano de reabilitação específico. Não podemos, obviamente, esquecer a parte da nutrição e do peso, e nisso tenho de dar uma palavra ao nosso nutricionista, que é sempre muito ativo e educativo a falar com os atletas. Está muito próximo deles e tem de facto incentivado e educado a fazerem uma alimentação saudável, não caírem em asneiras, porque provavelmente, no tempo que estamos em casa, vamos mais vezes ao frigorífico, e ele tem sido muito ativo a colocar normas e apresentações no nosso grupo de WhatsApp, para que todos se alimentem e tenham boas regras de alimentação. Por último, o nosso psicólogo, que procura manter o plantel ativo, estimulado e equilibrado, do ponto de vista mental, de maneira a quebrar um bocadinho com a monotonia do dia-a-dia”, acrescentou.

em Desporto

Marcações: Moreirense Futebol Clube, Marco Oliveira, médico

Imprimir