Caso Abdu Conté não resulta em castigo para o FC Porto



O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol decidiu «julgar improcedente» a acusação de racismo levantada contra o FC Porto, pelo comportamento de adeptos ‘portistas’ dirigidos a um jogador do Moreirense.

Em causa estava um processo disciplinar, levantado pelo CD com base no relatório das forças de segurança, devido a alegados insultos racistas dirigidos pelos adeptos ‘azuis e brancos’ a Abdu Conté, no encontro da 16.ª jornada do campeonato, disputado em 10 de Janeiro.

O processo foi arquivado parcialmente e julgada improcedente a acusação, pelo que o FC Porto é absolvido de qualquer castigo.

Recorde-se que o Conselho de Disciplina decidiu avançar com a instauração do processo disciplinar depois de ter recebido o relatório da segurança do encontro, a cargo da GNR. Nesse documento foram relatados insultos de índole racista, provenientes de adeptos do FC Porto que se encontravam na bancada topo do Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas. O árbitro do encontro, Artur Soares Dias, não fez qualquer referência ao caso no relatório do jogo. Os delegados da Liga, Fernando Silva e António Reis, também não reportaram qualquer incidente com essas características.

O processo disciplinar instaurado pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol ao FC Porto acaba por envolver, por inerência, o Moreirense, uma vez que o incidente reportado pela GNR aconteceu em Moreira de Cónegos. De resto, o lateral-esquerdo Abdu Conté foi arrolado como testemunha e teve de se pronunciar sobre este caso.


em Desporto

Marcações: Moreirense Futebol Clube, FC Porto, Abdu Conté, Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol

Imprimir