Berço já embala Pitbull no Japão



Halef Pitbull está a crescer, jogo após jogo no Japão, e o Berço Sport Clube vê reforçada a ideia de que a estratégia que montou para este seu ativo poderá vir a ser coroada de êxito. No Mito, clube da II Liga japonesa que o garantiu por empréstimo até Dezembro, o ponta-de-lança brasileiro de 25 anos marcou 3 golos (o último no domingo contra o Kanazawa) e assinou duas assistências para golo, fazendo já dele uma das referências da equipa. Pitbull deixou o Berço em janeiro com um registo de 8 golos em 16 jogos e preferiu o Japão à possibilidade de continuar em Portugal nas competições superiores. A decisão mostra-se acertada e o futuro poderá, de facto, ser risonho. “Estou encantando com tudo aquilo que estou a viver no presente. E no presente de que falo englobo a saída do Brasil para Portugal para assinar no Berço, que em boa hora o fiz, e depois a decisão de abraçar a experiência no Japão”, reconhece ao Desportivo de Guimarães Pitbull, falando em específico do que está a viver. “É tudo glorioso! Saí de Portugal para começar a época no Japão e quando estava tudo a rolar bem surgiu o Covid 19 para atrapalhar. Mas superamos essa catástrofe e estamos agora desportivamente numa fase incrível. Tenho feito golos, adoro o clube, estou apaixonado pelo povo e a sua cultura e só posso estar grato a Deus e a todos aqueles que me têm vindo a ajudar.”

O presidente do Berço é prudente na análise à fase que o jogador está a viver, mas não deixa de reconhecer ao nosso jornal que o futebol é o momento. “Estamos todos contentes com o rendimento e o sucesso do Pitbull, mas é cedo para pensarmos no desfecho do empréstimo quando ainda faltam tantos jogos. Acredito plenamente que ele vai terminar a época com números muitos bons e depois se analisará a situação dele”, projetou Joaquim Martins, adiantando que o impacto da sua influência na Mito já se fez notar. “Não escondo que ainda recentemente nos procuraram do exterior para saber em que termos e até quando ele foi emprestado. Até mesmo dois clubes portugueses da II Liga que o estavam a seguir quiseram saber quando terminava o seu empréstimo.”

Joaquim Martins não deixou, ainda, de realçar o fato de o próprio Pitbull ser o grande vencedor na fase em que está em viver. “A vinda dele para o Berço foi pensada no âmbito de um plano de carreira que precisava de uma mudança radical. Estamos a falar de um jogador que foi famoso quando foi contratado pelo gigante Cruzeiro do Brasil, mas a verdade é que as coisas não resultaram. Andou de empréstimo em empréstimo, e só teve sucesso no Santa Cruz, e mesmo assim acabou por voltar o Cruzeiro para terminar a ligação por sua iniciativa com um acordo de rescisão. Nesse momento ele colocou realmente na cabeça que precisava de uma mudança grande na sua vida”, lembrou, recordando os primeiros momentos em Guimarães. “O impacto foi grande e difícil de gerir. Deixar o Cruzeiro e assinar no Berço é descer muitas escadas... Custou-lhe imenso, mas sua humildade e vontade de dar a volta por cima foi grande. A verdade é que foi ainda muito maior que todos os obstáculos e é por isso que agora está a colher os frutos desse sacrifício. O grande mérito é dele. Primeiro por saber reconhecer os seus erros, ter capacidade de dar a volta e manter a ambição e o foco naquilo em que passou a acreditar depois do caminho que lhe apresentamos juntamente com os nossos parceiros. A nós, Berço, criticaram-nos por fazer a aposta que fizemos, mas temos as nossas ideias. Para nós um jogador não é bom um dia e mau no outro. Somos de convicções muito fortes. Sempre dissemos que aqui há espaço para descobertas, segundas e terceiras oportunidades. É a nossa forma de atuar para quem quiser aproveitar.”

Com o Berço no terreno já a preparar a época 20/21, Pitbull não esquece o clube com quem tem contrato e dá um conselho aos ex-colegas e aos novos elementos que chegaram ao clube. “Sigam o meu exemplo. Vim à procura de uma oportunidade para me reinventar e encontrei um clube com valores diferenciados, pequeno na história se compararmos para quem 20 e 50 anos, mas grande no tratamento e nas condições que dá aos seus atletas. Por isso, aproveitem a oportunidade como eu aproveitei para reconquistar o meu espaço pois o Berço é o trampolim perfeito”, assegurou, desejando que a nova época do Berço seja repleta de sucesso. “A época anterior não terminou pelas razões que todos sabemos, mas tenho a plena certeza de que o clube iria conseguir uma boa classificação na sua época de estreia. Para a nova temporada espero que tudo corra pelo melhor. Tenho acompanhado as movimentações do clube e sei que a aposta para subir de divisão é convicta e não duvido que mais uma vez o Berço terá sucesso. Será uma questão de tempo, e também não será muito, até o Berço disputar as competições profissionais”, projetou, terminando com uma análise aos efeitos do Covid 19 no Japão. “Aqui na cidade as coisas estão muito tranquilas e em geral no país também pois o povo é muito urbano e respeitador. No futebol o Governo já permite alguns espetadores. Temos tido entre mil e dois mil e já dá para sentir algum calor dos adeptos nas bancadas.”


em Desporto

Marcações: Berço SC, Halef Pitbull, Mito Hollyhock

Imprimir