Gelo no relvado adia jogo Vitória-Farense para domingo, às 18 horas



De nada valeram os esforços de cerca de uma dúzia de funcionários do Vitória e da empresa que trata o relvado do Estádio D. Afonso Henriques. O gelo que cobriu parte do tapete verde, junto da baliza sul, não derreteu e não estavam reunidas as condições para a realização do jogo com o Farense, pelo que o encontro da 14.ª jornada foi adiado. De acordo com informação da Liga, será disputado este domingo, às 18 horas.

As três equipas ainda cumpriram os exercícios de aquecimento, mas na hora marcada para o início da partida, as 18 horas, os principais intervenientes ainda se encontravam no relvado, onde os responsáveis vitorianos procuravam, de todas as formas, melhorar as condições para a realização do jogo.

O árbitro Fábio Veríssimo acompanhou todo o processo junto dos delegados da Liga, mas desde logo mostrou algumas reticências sobre o estado do relvado, apontando a existência de camadas de gelo, que podiam colocar em causa a integridade física dos atletas. O presidente vitoriano, Miguel Pinto Lisboa, também esteve sempre no relvado, assim como outros responsáveis do clube, na tentativa de perceber o que mais podia ser feito para derreter o gelo que se formou na última madrugada, em que a temperatura no centro de Guimarães esteve abaixo dos zero graus.

Cumprindo os regulamentos, o árbitro Fábio Veríssimo esperou meia hora para fazer uma reavaliação do estado do relvado. Às 18h30, voltou ao tapete verde na companhia dos seus auxiliares e do delegado da Liga. Uma vistoria acompanhada também por vários responsáveis vitorianos, entre os quais Flávio Meireles e Cosme Machado. Confirmada a ideia de que não havia condições para a realização do jogo, os dirigentes dos dois clubes foram informados do adiamento para domingo, às 18 horas.

Cerca de uma hora antes do horário oficial do jogo, vários funcionários do Vitória e da empresa responsável pelo tratamento do relvado do Estádio D. Afonso Henriques iniciaram uma intervenção de emergência para tentar preparar o tapete verde para o encontro com o Farense. Com gelo formado na zona sul do relvado, recorreram a vários métodos para a descongelação do relvado. Desde logo, foram despejados dezenas de baldes de água quente, além de terem sido utilizados sopradores. Ao mesmo tempo, o relvado foi ‘picado’ com diversos utensílios. Uma operação acompanhada no relvado pelo presidente vitoriano, Miguel Pinto Lisboa.

Marcações: Vitória Sport Clube

Imprimir Email