São Cristóvão pede remodelação mais abrangente



As obras de requalificação dos balneários do campo de futebol do parque de lazer do Rio Selho, casa do Grupo Desportivo São Cristóvão, já estão em andamento. A empreitada a cargo da Junta de Freguesia de Selho, São Cristóvão, recebeu um apoio financeiro de 19.650 euros da Câmara Municipal de Guimarães e deverá estar concluída a tempo do regresso dos campeonatos da Associação de Futebol de Braga, projectado para o segundo fim-de-semana do mês de Abril.

“Esta era uma ambição há muito tempo”, afirma o presidente do São Cristóvão, Rui Machado, que nota que o recinto precisa de outras intervenções. “A iluminação é muito deficitária. A prioridade é mesmo essa. Como toda a gente tem percebido, os treinos noctur­nos são muito complicados, os atletas queixam-se que não há condições, que a iluminação é muito fraca. Por isso, faço um apelo à Junta de Freguesia e à Câmara para melhorarem as condições, porque a luz artificial faz mesmo muito falta para o nosso dia a dia quando estamos em competição”.

A ambição já assumida pelo São Cristóvão é que o clube possa usufruir, a breve prazo, de um relvado sintético. Um processo que não será fácil de resolver, uma vez que ainda não terá sido ultrapassado o imbróglio que coloca frente a frente o proprietário do terreno onde está implementado o campo pertença da Câmara Municipal. “À espera” de novidades para breve, Rui Machado sabe que o processo “não é fácil”. “Estamos atentos e gostava de falar com os responsáveis da Câmara para perceber como estão as negociações com o proprietário. Gostava que houvesse um entendimento, porque num futuro próximo apenas dois clubes de Guimarães não terão um sintético para a próxima época, nós e o Santo Estêvão. Isso é muito mau para nós, porque será complicado arranjar atletas, já que eles são cada vez mais exigentes. É um problema urgente”, ressalva Rui Machado, para quem o espaço ao redor do parque de lazer do Rio Selho oferece “condições” para um crescimento sustentado. “Ali pode fazer-se uma Academia de qualidade, há espaço para construir infra-estruturas para ajudar as instituições da freguesia a evoluir. É um espaço que podia servir o São Cristóvão, que pretende ter camadas jovens num futuro próximo, mas também clubes vizinhos como o Pevidém e o Serzedelo, que também carecem de espaços".

Marcações: Associação de Futebol de Braga, GD São Cristóvão

Imprimir Email