Vitória impede Boavista de chegar à liderança

O Vitória não deixou que o Boavista aproveitasse o deslize do líder Sporting (2-2 com o Braga), e subisse ao primeiro lugar. Os axadrezados não foram além de um empate com o Vitória, em jogo de defesas fortes. O temperamento das equipas de Jaime Pacheco e de Augusto Inácio fazia prever um jogo renhido a meio-campo mas pouco espectacular. Com os criativos bem marcados – Sanchez por Marco, Nuno Assis por Jorge Silva – os treinadores das duas melhores defesas na segunda volta confirmavam as suspeitas. A primeira parte foi marcada pelas inúmeras interrupções e sem circulação de bola era fácil adivinhar de que forma Ricardo poderia sofrer o segundo golo e Palatsi o quinto na segunda volta: de bola parada. Oportunidades, revelaria o decorrer do jogo, não faltariam. Cantos e livres sucederam-se e o Boavista-Vitória deve ter entrado para o cimo da lista dos jogos com maior número de faltas. Duda deu um falso sinal no início da segunda parte (49'), rematando no final de uma jogada de bola corrida e obrigou Palatsi a defesa concentrada. O Boavista controlava a posse de bola a 60 por cento, o Vitória ensaiava inócuos contra-ataques, mas o confronto resumia-se à sucessão de livres, num lado e no outro. Sanchez, mesmo com o forte vento a favor, não desfez o nó a Pacheco. As jogadas construídas com bom senso resumem-se em três penadas: Romeu chutou por alto dentro da área (70'); Martelinho isolou-se na direita e serviu bem João Paulo, mas quando a bola chegou à rede já estava mal assinalado fora-de-jogo; aos 85', numa altura em que os vitorianos ganharam ascendente, Ceará aproveitou mal um ataque rápido, com dois colegas em boa posição no centro. O Vitória confirma os créditos defensivos e é a terceira melhor defesa do campeonato com 23 golos, mais três do que o Sporting e nove do que os "axadrezados". O Boavista não sofre golos em casa desde 9 de Dezembro – 0-1 com Marítimo. Na Liga, em cinco partidas no Bessa, os adversários ficaram em branco, tal como o Nantes e o Bayern de Munique, na Liga dos Campeões. Ficha de jogo Estádio do Bessa, no Porto. Árbitro: Lucílio Baptista (Setúbal). BOAVISTA: Ricardo, Frechaut, Paulo Turra, Pedro Emanuel, Mário Loja, Jorge, Petit, Sanchez (Pedro Santos, 83'), Martelinho, Silva (João Paulo, 69') e Jorge Couto (Duda, 46'). Treinador: Jaime Pacheco. Cartões amarelos: Frechaut (41'), Pedro Emanuel (69'), Paulo Turra (94'). VITÓRIA: Palatsi, Abel, Cléber, Flamarion, Rogério Matias, Marco, Hugo Cunha, Nuno Assis (André, 79'), Fangueiro, Ceará e Romeu. Treinador: Augusto Inácio. Cartões amarelos: Hugo Cunha (35'), Cléber (44'), Abel (50'), Flamarion (63'), Romeu (70').

em Desporto

Marcações: Desporto

Imprimir