2018 em Revista

2018 chega ao fim e é hora de fazer o balanço. Numa capa por cada mês, contamos-lhe as principais notícias que levamos até si. Há muito para lhe relembrar (muitas coisas certamente já nem se recordava), mas também muito por se concretizar.

Janeiro

Começamos o Ano com a manchete que deu conta do acórdão do Tribunal Judicial de Guimarães: 20 e 18 anos de cadeia por morte de septuagenária. Sobrinho da vítima absolvido do crime que não cometeu. A Câmara anunciou a construção de nova via Sul - Nascente e Presidente da Câmara falou da construção de um troço ecológico em cubo de granito. Guimarães recebeu Zonas 30 em nome da mobilidade e Domingos Bragança desafiou privados a transformarem edifícios fabris em complexos habitacionais. Nas capas d'O Comércio de Guimarães falou-se ainda do Festival da Canção RTP no Pavilhão Multiusos disputado por 14 intérpretes.

Fevereiro

No mês de Fevereiro fez manchete a melhoria no sector do mercado imobiliário, com os serviços camarários a emitirem 294 licenças para novas construções em 2017. Foi conhecida a intenção da empresa Águas do Norte transferir trabalhadores para encerrar a delegação de Guimarães. As empresas do concelho vimaranense sobrevivem mais  que a média nacional. N'O Comércio de Guimarães deste mês destaque ainda para uma família que só soube depois da morte que mulher morreu de gripe A. Também a Fundação para a Ciência e Tecnologia que vai instalar no Avepark o centro de processamento de dados, foi destaque do nosso centenário jornal.

Março

O destaque de Março vai para as buscas no âmbito do «caso dos e-mails». O Tribunal de Guimarães foi um dos 30 locais onde a PJ realizou buscas, porque um funcionário era suspeito de fornecer informação a assessor do Benfica. Destaque também para uma empresa de Guimarães que importa mão-de-obra de Bangladesh, para o número de casamentos que diminuíram 19% no Concelho em cinco anos e para a zona de Couros que aguarda por classificação de monumento nacional. O terceiro mês do ano ficou ainda marcado pela recondução de Júlio Mendes na presidência do Vitória.

Abril

O mês da liberdade apresentou o investimento de 35 M€ da Farfetch, que criou 220 postos de trabalho. O novo edifício no Avepark foi inaugurado no mês seguinte. O Primeiro-Ministro esteve em Guimarães, onde homenageou sector do calçado e o empresário Fortunato Frederico. O Autocarro eléctrico de Guimarães 100% português começou a circular na Linha Cidade, Guimarães falhou o objectivo da Capital Verde Europeia 2020 e Filipe Fontes demitiu-se de director do Departamento de Urbanismo da Câmara Municipal. Destaque para o desafio da UMinho em aumentar a capacidade de alojamento e para o Projecto pioneiro para combater sedentarismo e promover actividade física.



Maio

No quinto mês do ano fez destaque a cedência do terreno para construção do Campus da Justiça por parte da Câmara. O edifício será erigido junto à Academia de Ginástica. Em Guimarães, a PSP registou 1.362 crimes e deteve 232 pessoas em 2017 e 300 casos de cancro da pele registados em 2017 no Hospital. Ainda em Maio n'O Comércio de Guimarães destaque para a situação financeira da ACIG ameaça futuro da instituição e para o Tribunal que retirou cinco filhos a jovem casal em Fermentões e lapso da Segurança Social penaliza reforma de vimaranense, com um prejuízo mensal de 115 euros.

Junho

O mês de Junho ficou marcado por acidentes trágicos que provocam duas mortes. Um operário perdeu a vida na pedreira de Gonça e tractorista faleceu em Briteiros Santa Leocádia. O Dia Um de Portugal foi comemorado com 10 inaugurações. A intenção da Câmara em recuperar antiga Escola de Santa Luzia para habitação de universitários e o Pé de Meia da Santiago que já deu 131 mil e 310 euros foram outros títulos em destaque. O Ministro da Ciência elogiou a capacidade que Guimarães tem tido para se transformar num símbolo de modernidade e futuro na sessão solene do 24 de Junho. O programa auto-estima distribuiu em Guimarães 13 mil preservativos.

Julho

N'O Comércio de Guimarães de Julho destaque para o Paço dos Duques e o Castelo, que foram os mais visitados no Norte do País. Ficou conhecida a intenção da Câmara em preservar a chaminé da Fábrica de Roldes e que a CISAVE regressou para as instalações da ACIG. A Associação Muralha mostrou-se preocupada com construção de prédio na Costa próximo da Pousada. O Ex-Chefe dos CTT das Taipas foi condenado por peculato e falsificação. A sentença ditou cinco anos de prisão suspensa e pagamento de 419 mil euros de indemnização. Em Julho, Henrique Capelas foi confirmado na liderança do Hospital.

Agosto

No mês de Agosto decorrem as Festas da Cidade e os obreiros que deram corpo à alma das Gualterianas foram destaque. As Gualterianas animaram Guimarães com quatro dias de festa. 265 M€ foram levantados no primeiro semestre nas caixas ATM de Guimarães, com uma média mensal de levantamentos até Julho de quase 38 milhões de euros. A Tempo Livre assumiu gestão das piscinas de Brito e Guimarães sofreu uma vaga de calor que fez subir temperaturas acima de 40º C durante quatro dias em Guimarães. Ainda em destaque, no concelho foram criadas duas empresas por dia no primeiro semestre deste ano.

Setembro

O destaque do nono mês do ano foi para a inauguração da Ecovia, que ainda vai crescer ao longo das linhas de água do Concelho. Guimarães arrancou o ano lectivo com 18 mil alunos. O Concelho perdeu perto de mil alunos no último ano. Os franceses da Córsega foram julgados por assalto ao Barclays de Guimarães. O preço do teleférico em 2019 vai ficar mais barato para vimaranenses e o Juízo de Comércio decretou insolvência da Marpei. Fez ainda manchete que os vimaranenses casam cada vez menos. Em 2017 realizaram-se 415 casamentos.

Outubro

O exército português passou por Guimarães no mês de Outubro, reforçando laços de confiança na Terra onde nasceu. As comemorações do Dia do Exército exaltaram serviço militar e mostraram capacidades e meios. A solução para a rotunda de Silvares passa por um túnel descoberto, que ligará auto-estrada à variante de Creixomil. A obra de desnivelamento inferior arranca em 2019 e vai custar 2,5 milhões de euros. O Município reivindicou 200 milhões de euros para inovação baseada na ciência e tecnologia. Eleitos do PSD são os que mais faltam às sessões da AM. Social-democratas também "ganham" nas substituições.

Novembro

O destaque no mês de Novembro do centenário jornal vimaranense foi para o Estudo Urbanístico do Monte Cavalinho aprovado por unanimidade, que contempla um Parque de estacionamento "gratuito", "via estruturante" e habitações com "renda acessível". Um terreno arrematado por uma imobiliária do Grupo Endutex por 2,75 M€. Ainda em Novembro, ficamos a conhecer que o Novo campus de justiça avança com projecto em 2019, que Eduardo Leite foi eleito Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães, que o restaurante A Cozinha de António Loureiro foi distinguida com estrela Michelin e da demissão do Director do Serviço de Imagiologia do Hospital.

Dezembro

No último ano de 2018 destaque para os 248 pedidos validados com isenção de IMI no Centro Histórico. A Vereação analisou proposta a que corresponde despesa fiscal de 106 mil euros. O Tribunal da Relação confirmou o valor pago pela Câmara pelos terrenos da Cidade Desportiva. Segunda instância confirmou decisão do Tribunal Cível e Município pagou menos de um milhão em vez de mais de três milhões pretendidos pelos proprietários. A imobiliária Magib comprou parte do edifício dos CTT, mas ainda não decidiu projecto para o imóvel. Vítimas mortais de acidentes rodoviários duplicaram em Guimarães, com mais de 500 acidentes que provocaram 10 mortes em 2017.


Marcações: 2018, Resenha

Imprimir Email