Contextile 2020 com novo recorde de participações



A Contextile 2020 - Bienal de Arte Têxtil Contemporânea, na sua 5ª edição que se realiza de 5 de Setembro a 25 de Outubro, em Guimarães, teve uma participação de 870 artistas de 65 países que propuseram cerca de 1.150 obras de arte, respondendo à OpenCall que encerrou a 1 de Março para a Exposição Internacional.
O número de participações representa um aumento de 40% relativamente a 2018, na participação de artistas e obras -- um novo recorde --, num crescendo de edição para edição, desde 2012.

A Contextile 2020 convidou um júri multidisciplinar composto por Lala de Dios, professora de História de Arte e do Têxtil, curadora, Janis Jefferies, professora emérita de artes visuais, curadora, Rosa Godinho, artista plástica e têxtil, Jorge Costa, curador e director artístico do CAC Graça Morais e Cláudia Melo, da direcção artística da Contextile 2020, que reuniu nos passados dias 3 e 7 por videoconferência e seleccionou 59 obras de 50 artistas de 29 países – Portugal, vários países europeus, da América do Norte e do Sul, países asiáticos – a partir dos critérios básicos dos regulamentos: alta criatividade, originalidade e competência técnica em torno do elemento têxtil, construção, tema, conceito ou material utilizado, tendo sempre por referência o conceito temático da Contextile 2020 «Lugares de Memória».

O Prémio de Aquisição e as Menções Honrosas serão atribuídas no momento de inauguração da Bienal, a 5 de Setembro de 2020, em Guimarães, que mais uma vez ocupará de novo os vários espaços culturais e áreas públicas da cidade, sempre com o objectivo de divulgar o que melhor se faz na Arte Têxtil Contemporânea, em Portugal e no mundo. Partindo sempre do desafio de colocar o têxtil no contexto da arte contemporânea.

A Contextile 2020 conta com a parceria institucional do Município de Guimarães e o apoio da DGArtes | Ministério da Cultura, aos quais se juntam, entre outras, as parcerias com a ATP – Associação Têxtil e do Vestuário de Portugal, ASM – Associação Selectiva Moda, entre outras empresas têxteis da região.
Esta Contextile não só pretende entrelaçar a tradição e inovação no têxtil com a cultura e a criatividade, sublinhando a importante marca identitária que tem deixado desde 2012, aquando da Capital Europeia da Cultura, e projectando Guimarães como Território de Cultura Têxtil.


em Economia

Marcações: Contêxtil 2020

Imprimir