Carlos Bernardo e Pedro Arezes assumem Gabinete de Crise e da Transição Económica

O antigo Reitor da Universidade do Minho, Carlos Bernardo, e Pedro Arezes, Presidente da Escola de Engenharia da UMinho, vão assumir a presidência executiva do Gabinete de Crise e da Transição Económica criado pela Câmara Municipal de Guimarães, anunciou o Município em comunicado.

Com a nomeação de António M. Cunha para a presidência da CCDR-Norte, e consequente saída da presidência executiva do Gabinete de Crise, o Presidente da Câmara Municipal e máximo responsável do referido Gabinete, comunicou a todos os elementos da equipa de implementação do Plano de Acção e a todos os empresários que integram os Projectos Colaborativos a constituição da nova presidência executiva, bem como os coordenadores de cada uma das áreas que compõem o conjunto de medidas que nos próximos anos têm como objectivo requalificar e modernizar o tecido empresarial da região.
As reuniões tiveram lugar durante toda a manhã desta quinta-feira, e nelas ficou a saber-se que a presidência executiva do Gabinete de Crise e da Transição Económica será bipartida.

Segundo um comunicado da Câmara, Domingos Bragança referiu que a escolha de Carlos Bernardo “teve em conta o alto nível de competência que a implementação do Plano de Acção para a Transição Económica exige”. Para o Presidente da Câmara, Carlos Bernardo teve um papel decisivo na implantação e consolidação da Universidade do Minho em Guimarães e na ligação da academia ao tecido empresarial, quer durante o tempo em que esteve à frente da Escola de Engenharia, quer enquanto Vice-Reitor e Pró-Reitor”.

Em relação à escolha de Pedro Arezes, Domingos Bragança considera-a "natural e lógica", uma vez que grande parte dos investigadores que estão ligados às várias medidas do Plano de Acção estão ligados a projectos de investigação com ligação à Escola de Engenharia. Esse facto, aliado à competência que lhe é reconhecida, fazem com que o seu contributo seja inestimável para o sucesso dos projectos em causa.

“Substituir o Prof. António Cunha não é uma tarefa fácil, mas as escolhas que ele encontrou e que por mim foram validadas dão-nos todas as garantias de levarmos a cabo um trabalho competente e sério, cujos resultados se farão sentir a médio e longo prazo. Queremos ter os melhores a trabalhar connosco, e os professores Carlos Bernardo e Pedro Arezes estão entre os melhores”, disse.

Marcações: Gabinete de Crise e da Transição Económica, Carlos Bernardo , Pedro Arezes

Imprimir Email