Escolas EB 1 do Alto e EB1 do Outeirinho encerram no próximo ano lectivo em Guimarães

 

O próximo ano lectivo vai ficar marcado pelo encerramento de mais escolas em Guimarães. A Vereadora da Educação da Câmara de Guimarães anunciou o fecho da EB 1 do Outeirinho, em Moreira de Cónegos, e da EB1 do Alto, em Lordelo, sendo os alunos integrados em outros estabelecimentos de ensino existentes naquelas vilas.

Segundo Adelina Paula Pinto, os alunos que frequentam a EB1 de Outeirinho serão transferidos para a Vermis, "onde vai ser criado o Centro Escolar", na vila de Moreira de Cónegos.

Em Lordelo, continuou a responsável, "os alunos vão ser todos concentrados na escola do Carreiro", o que determinará o encerramento da Escola EB 1 do Alto.

A Vereadora da Educação garantiu que a EB 1 do Carreiro vai sofrer uma beneficiação durante o Verão, estando prevista "a retirada das estruturas de amianto, bem como algumas obras de manutenção, de maneira a conseguirmos ter o edifício em condições no início do ano lectivo". Adelina Paula Pinto sublinhou que o encerramento daqueles estabelecimentos permitirá "acabar com as turmas mistas, ficando os alunos em turmas 'limpas', ou seja, só com um ano de escolaridade.

"Esta reorganização já está a ser planeada e está garantido o apoio, em articulação com o Agrupamento de Escolas para que o encerramento destas escolas contribua para o sucesso dos alunos", observou, advertindo que outras escolas do Concelho poderão encerrar, em função do número de alunos matriculados para o próximo ano lectivo. "Temos várias escolas que estão na tangente", admitiu, observando que as matrículas decorrem até ao dia 15 de Junho.

Reconhecendo a existência de "pressão" sobre algumas escolas, "as mais urbanas", Adelina Paula Pinto assinalou que os encarregados de educação deixam de poder usar a sua zona de residência como prioridade na escolha da escola, caso não partilhem a morada fiscal com o aluno. "Este princípio é bom, porque não se pode pactuar com fraudes, em que as pessoas usavam moradas que não eram as próprias, mas vamos ver como na prática o que vai acontecer", sublinhou, afirmando que há algumas escolas "que estão no vermelho". "Antes das matrículas há sempre a perspectiva de que vamos ter o número de alunos suficiente para preencher duas turmas, o que autorizamos. Mas, com menos de duas turmas, as escolas serão encerradas. Não faz sentido em 2018, ter quatro anos de escolaridade numa só turma, isso será o pior para os alunos", considerou, ao salientar que sempre que uma escola encerra "há uma referência" que se perde na comunidade. "O possível encerramento das escolas tem muito impacto nas freguesias", concluiu.

Foto: Google

Texto publicado originalmente na edição de 9 de Maio do jornal O Comércio de Guimarães.

 

em Educação

Marcações: Moreira de Cónegos, Lordelo

Imprimir