Câmara pretende criar bolsa de alojamento para os estudantes

O Presidente da Câmara, Domingos Bragança, adiantou esta terça-feira, 24 de Julho, que o município pretende criar uma bolsa de alojamento para os estudantes universitários. Esta é uma das soluções que a autarquia encontrou para resolver o problema de falta de alojamento para os jovens universitários.

A Câmara Municipal de Guimarães pretende aumentar o número de residências para jovens universitários. Um alerta que o Reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, deixou na apresentação dos novos cursos do estabelecimento de ensino vimaranense. "A taxa de ocupação das residências está nos 99,3% e existe uma longa lista de espera. Neste momento, temos 6.500 alunos e residências para 550 estudantes", esclareceu.

O presidente da autarquia reconheceu que o problema está "identificado" e que existe um programa de reabilitação urbana que está em andamento. "Temos prédios antigos que o município identificou para reabilitação e para dar alojamento", disse o autarca, dando o exemplo do edifício de S. Luzia, que está em negociações com o Ministério das Finanças para a sua cedência.      

O edil referiu que o programa inclui uma "construção orientada do sector privado" para estudantes, com renda "acessível", sublinhando que existe outras soluções a curto prazo. "Temos como resposta imediata o alojamento local, no sentido de aproveitar as habitações existentes. Nós sabemos que existem muitos edifícios de famílias com uma ocupação de 20% e é uma oportunidade para rentabilizar esse espaço", explicou o autarca, deixando um desafio: "temos de criar muito urgentemente plataformas electrónicas com todo o alojamento disponível do sector privado, ou seja, uma bolsa de alojamento para os estudantes".

"A Câmara pode ainda dar apoio em isenções fiscais e no licenciamento das adaptações. Estamos a trabalhar nisso. Faço um apelo a todos os vimaranenses com condições para acolher estudantes que se dirijam à câmara para receberem orientações sobre como fazer”, concluiu Domingos Bragança.

O Presidente da Câmara e o Reitor da Universidade do Minho apresentaram os dois novos cursos que vão funcionar em Guimarães já a partir de Setembro.

A licenciatura em Artes Visuais tem a duração de três anos, conta com 25 vagas, e vai funcionar no Campus de Couros. O plano de estudos inovador inclui as várias práticas da pintura, escultura e multimédia, com uma aposta no ensino do desenho, das tecnologias artísticas, da teoria da arte e de experiências multidisciplinares de arte contemporânea.

A licenciatura em Protecção Civil e Gestão do Território é a primeira do género no ensino superior público em Portugal Continental, conta com 30 vagas, e vai funcionar no Campus de Azurém, em Guimarães.

em Educação

Marcações: Educação, Universidade do Minho, estudantes, Alojamento

Imprimir