O tema da SIDA vai às escolas pela mão dos mais jovens

O Município de Guimarães estabeleceu um protocolo com Fundação Portuguesa «A Comunidade Contra a SIDA». 

O referido protocolo tem como objectivo desenvolver acções e projectos que visem a prevenção da infecção pelo VIH, Hepatites Virais e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), assim como de informação/educação e aconselhamento psicossocial nas áreas da Educação para Saúde e a Sexualidade, para a Cidadania e promoção dos Direitos Humanos.

Na cerimónia de assinatura de protocolo, Filomena Frazão Aguiar, da Fundação Portuguesa «A Comunidade Contra a SIDA», explicou que vai ser utilizado o conceito de educação pelos pares, que forma os "jovens mais velhos para eles serem os pares nas escolas". Em sala de aula, com um professor destacado pelo Ministério da Educação, vão abordar várias temáticas ao longo do ano. Todas as semanas as turmas são intervencionados durante todo o ano lectivo", referiu. 

Adelina Pinto, vice-presidente do Município, sublinhou que a SIDA não é um problema resolvido. "Nós partimos do preconceito que a SIDA é um problema resolvido, mas não é. Também partimos do pressuposto de que os nossos alunos tem acesso a toda a informação, mas ela tem de ser transformada em conhecimento", apontou Adelina Pinto.. 

Estas acções estão já a ser implementadas no Agrupamento de Escolas Santos Simões, no Agrupamento de Escolas João de Meira e no Estabelecimento Prisional de Guimarães. No próximo ano lectivo juntar-se-ão mais duas unidades escolares a este projecto de intervenção.

em Educação

Marcações: Fundação Portuguesa «A Comunidade Contra a SIDA»

Imprimir