UMinho organiza conferência internacional sobre inteligência artificial

O Synthetic Intelligence Lab do Centro Algoritmi da Escola de Engenharia da Universidade do Minho (EEUM) realiza de 4 a 6 de Novembro a 21ª edição da Conferência Internacional sobre Engenharia do Conhecimento e Aprendizagem Automática (IDEAL2020), que é uma referência na área. O evento tem pela primeira vez organização portuguesa e estava previsto para Guimarães, mas face ao contexto sanitário vai decorrer online, em islab.di.uminho.pt/ideal2020, juntando mais de 120 especialistas de 42 países, como EUA, Japão, Rússia, Brasil, Sérvia ou Coreia do Sul.

A sessão de abertura é esta quarta-feira, às 9h00, com o presidente da EEUM, Pedro Arezes, o director do Departamento de Informática da UMinho, Pedro Rangel Henriques, o director do Centro Algoritmi, José Machado, e os coordenadores do evento, Hujun Yin, David Camacho, César Analide e Paulo Novais. O programa inclui uma centena de intervenções, desde conferências plenárias, sessões especiais, debates e workshops sobre inteligência artificial, ciências dos dados e aprendizagem automática. Os oradores principais são George Baciu, da Universidade Politécnica de Hong Kong (China), Paulo Lisboa, da Universidade John Moores de Liverpool (Reino Unido) e João Gama, da Universidade do Porto.

Segundo a organização, a actividade humana está, desde sempre, directamente ligada e modelada pela inteligência. Há diversas formas e graus de inteligência em seres humanos e, também, noutros seres vivos. A inteligência artificial é a ciência que estuda o fenómeno da inteligência e, por outro lado, é um ramo da engenharia, procurando construir instrumentos para apoiar a humanidade. Um dos seus propósitos é precisamente habilitar o computador para executar funções desempenhadas pelo ser humano, usando o conhecimento e o raciocínio. Essa capacidade dos humanos em agirem inteligentemente é associada ao conhecimento que detêm e que é essencial para construir sistemas inteligentes – este vai ser o eixo dos debates na IDEAL2020.

em Educação

Marcações: Universidade do Minho, inteligência artificial

Imprimir