Escolas Martins Sarmento e Cenatex desmentem STOP sobre reuniões presenciais

A Escola Secundária Martins Sarmento desmente o STOP - Sindicato de Todos os Professores. Em causa estão as reuniões de avaliação do primeiro período escolar. Em comunicado, o STOP divulgou que a Escola Secundária Martins Sarmento "não respeitava" as normas de segurança determinadas pela Direcção Geral de Saúde devido à pandemia. Reagindo a esta acusação, a Directora da Martins Sarmento refere que "as reuniões de avaliação do primeiro período não “reúnem um número alargado de pessoas” (orientações da DGS para o ano lectivo 2020/2021), pelo que vão realizar-se presencialmente".

Ana Maria Silva acrescenta que "a Martins Sarmento, com o rigor que a caracteriza, garante todas as regras de segurança aos seus profissionais de educação. O comunicado do STOP revela total desconhecimento da realidade desta escola: a dimensão das salas, o arejamento permanente, a higienização e desinfeção constantes. Na Martins Sarmento estamos em segurança" conclui a Directora da Escola Secundária Martins Sarmento.

Também a Escola Profissional Cenatex desmentiu o STOP. Aquela Escola refere que "todas as reuniões foram até agora realizadas à distância, nomeadamente Reuniões Intercalares, Reuniões com Encarregados de Educação, Reuniões com alunos estagiários etc.. e que a decisão de realizar as reuniões de final de período em regime presencial, teve total concordância dos Orientadores Educativos de Turma, Coordenadores de Curso, Professores de Educação Especial, bem como da generalidade dos professores".

"O final de um período lectivo exige muita burocracia e a discussão de assuntos muito particulares, pelo que a decisão tomada não invalida que se cumpram as regras recomendadas pela DGS. Todas as medidas recomendadas serão respeitadas, tal como são diariamente nas nossas práticas lectivas com os alunos", lê-se num esclarecimento enviado ao Grupo Santiago.


Marcações: STOP

Imprimir Email