MP acusa dirigente de instituição de S. Martinho de Sande de crime de homicídio na forma tentada

O Ministério Público do Tribunal de Guimarães acusou a vice-presidente da Associação Mundo Livre, de S. Martinho de Sande, da prática de um crime de homicídio na forma tentada. Os facto ocorreram no dia 9 de Fevereiro de 2019. Nesse dia, pelas 20h30, a mulher deslocou-se a uma casa da associação que apoia pessoas com problemas sociais e de que era dirigente para se inteirar das actividades desenvolvidas pelos utentes que ali se encontravam acolhidos.

Segundo o Ministério Público, no decorrer da visita, como uma das utentes não tivesse logrado atingir os objectivos definidos para os peditórios, iniciou-se uma discussão envolvendo ambas e também o marido da arguida. Já no exterior da habitação e ainda de acordo com o Ministério Público, a arguida, com uma tesoura de metal e pontas em bico, desferiu um golpe no pescoço da referida utente.

A vítima foi assistida pelos bombeiros e pela VMER e transportada de imediato ao hospital e, segundo o Ministério Público, "só não perdeu a vida porque, por mero acaso e independentemente da vontade da arguida, o golpe apesar de extenso e profundo não atingiu qualquer dos vasos sanguíneos principais que passam no pescoço".

Marcações: S. Martinho de Sande, crime de homicídio na forma tentada, dirigente

Imprimir Email