Capela Dias acusa Presidente da Câmara de não rentabilizar vereadores

O líder do Partido Comunista de Guimarães acusou o Presidente da Câmara de não rentabilizar as mais valias existentes do executivo municipal. Uma afirmação proferida por Cândido Capela Dias no programa Uns e os Outros, da Rádio Santiago. Na opinião de Cândido Capela Dias, o Presidente da Câmara não aproveita as potencialidades dos vereadores da oposição
em prol dos interesses do concelho.
Para explicar a sua opinião, Capela Dias defendeu que Salgado Almeida, da CDU, e Alves Pinto, do PSD, poderiam dar um contributo positivo ao executivo municipal nas áreas da saúde, desporto e educação.
Convidado a pronunciar-se sobre a polémica instalada na AMAVE sobre a
sucessão na presidência do seu conselho de administração, Capela Dias acusou o PS de "partidarizar" questões que deveriam unir as diversas forças políticas.
"Com esta postura que não é correcta, o PS não serve os interesses da democracia de base", sustentou o dirigente comunista.
Na sua entrevista, Capela Dias foi confrontado com a dívida de 19 mil contos deixada pela gestão CDU na freguesia de Guardizela. Capela Dias salientou que a própria Câmara deve actualmente milhares de contos a fornecedores. Mas sobre a acusação do Presidente da Câmara, Capela Dias defendeu o autarca da CDU de Guardizela com um ataque a António Magalhães.
Capela Dias evocou uma obra na sede da junta de freguesia de Guardizela que mereceu apoios não só da Câmara mas também do Governo.
"Esses apoios nunca se apuraram o destino que levaram. Realizou-se um inquérito mas nunca se conheceu qualquer conclusão".
Sobre os resultados das eleições autárquicas, Capela Dias considerou que os seus resultados constituiram avisos à gestão municipal socialista, defendendo a atribuição de mais competências às juntas de Freguesia das vilas do concelho.
O dirigente comunista abordou ainda o actual momento nacional do PCP e
defendeu um dabete interno aprofundado.

em Política

Marcações: Política

Imprimir