CDU foca-se em quatro áreas para o plano e orçamento do Município

A CDU de Guimarães apresentou esta segunda-feira as propostas levadas à maioria socialista para o Orçamento e as Grandes Opções do Plano para 2019 da Câmara Municipal de Guimarães.

A comissão coordenadora da Coligação aponta para quatro áreas "fundamentais" de intervenção no município: mobilidade, ambiente, habitação e economia.  

Em declarações à imprensa, Mariana Silva, deputada da CDU, coloca a despoluição do rio Ave como uma prioridade, tal como "preços justos" para a habitação. "Não somos todos ricos. É preciso ter rendas a preços acessíveis, o que é difícil encontrar em Guimarães. Se formos morar para os arredores temos o problema dos transportes", afirmou.

A deputada alertou ainda para a dificuldade do acesso à cultura e para o "problema" trânsito em algumas artérias da cidade, apelando a uma maior "transparência" da autarquia e rapidez na resposta ao requerimentos.

A CDU propõe a "reversão da concessão" dos TUG, com a sua gestão a passar para as "mãos da Câmara", com o objectivo de cobrir todo o concelho. Ainda na mobilidade, a Coligação exige junto do poder central a valorização do serviço público, a redução do preço dos bilhetes e dos passes, assim como ampliar o uso do passe para idosos, sem limite de dias e sem condicionamento de horários. A CDU entende ainda que deve ser criada uma rede de bicicletas de uso público com vários pontos da cidade.

No ambiente, a CDU propõe elaborar as "Cartas Concelhias das Praias Fluviais, Parques de Lazer e Recreio e Ciclovias/Ecovias", bem como criar um Centro de Reciclagem de Resíduos e uma Escola de jardineiros da Câmara Municipal.

Já na habitação, a Coligação pede novos regulamentos para o apoio à construção e reabilitação, de forma a permitir o direito à habitação com custos controlados.

Por fim, a nível económico, a CDU tem propostas como criar um gabinete de apoio municipal, desenvolver o turismo e valorizar o papel da cultura.

em Política

Marcações: CDU, orçamento do Município

Imprimir