Implementação do Plano de Acção do rio Ave discutida no Executivo vimaranense

A maioria socialista que gere a Câmara de Guimarães foi questionada esta quinta-feira sobre a implementação do Plano de Acção do Rio Ave, numa intervenção do Vereador do PSD, Bruno Fernandes.

No período antes da ordem do dia da reunião do Executivo vimaranense, o representante social-democrata manifestou-se preocupado com a "ausência de implementação" de um conjunto de acções anunciadas em 2015 "em reação a uma descarga poluente", desejando saber "o que foi feito pela Águas do Norte e pela Vimágua" ao nível do redimensionamento das suas infraestruturas.

Na reacção, o Presidente da Câmara garantiu que o plano de acção está a ser implementado. "Queremos que abranja todas as linhas de água do Concelho", disse Domingos Bragança, distribuindo à vereação um documento com "o ponto de situação do trabalho desenvolvido".

O Autarca assinalou que as preocupações ambientais têm sido "uma prioridade" nos seus mandatos, indicando que já manifestou ao Presidente da Águas do Norte para que, em articulação com a Vimágua, serem encontradas soluções para acabar com as sobrecargas dos equipamentos que conduzem os efluentes às estações de tratamento. "É um investimento avultado, mas tem de ser feito", referiu, dando o exemplo da Vimágua que tem investido na execução de obras na Avenida D. Afonso Henriques e Praça Heróis da Fundação para garantir o adequado encaminhamento dos efluentes domésticos.

No final da reunião, em declarações aos jornalistas, Domingos Bragança referiu-se ao facto da Autarquia liderar o Plano de Acção do rio Ave e "não ter poderes de fiscalização sobre os recursos hídricos", admitindo que esse domínio também deveria ser proposto às autarquias no âmbito do processo de descentralização de competências.

Excerto do artigo que será publicado na íntegra na edição de 20 de fevereiro do jornal O Comércio de Guimarães.

 

em Política

Marcações: Rio Ave, reunião camarária

Imprimir