Conheça as principais linhas do Plano do Serviço Público de Transporte Rodoviário de Passageiros de Guimarães



Na reunião do executivo Municipal vimaranense desta quinta-feira foi revelado o Plano de Transporte Rodoviário de Passageiros no concelho de Guimarães.
O aumento da oferta em cerca de 800 mil km/ano e a comparticipação do Município no total de 10 anos, entre 2021 e 2030, na ordem dos 25 milhões de euros, são algumas das implicações da proposta do Plano para a Exploração do Serviço Público de Transporte Rodoviário de Passageiros no concelho de Guimarães - Final da Fase 2 - proposta da rede.
O trabalho foi coordenado por Álvaro Costa, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

A rede actual de transportes vai manter-se até ao dia 31 de Julho de 2020, porque a partir de 1 de Agosto do próximo ano, a nova rede entrará em vigor, embora condiciona ao fim do contrato de concessão dos TUG que termina a 1 de Março de 2021.
A rede Municipal única, com integração da rede urbana, terá início em Março de 2021 e o fim a 31 de julho de 2030.
De acordo com o referido Plano, as principais alterações da rede são as seguintes:
Estação da CP (lordelo) - eixo industrial dominante - Espaço Guimarães;
Avepark - Taipas - Parque industrial de Ponte - Espaço Guimarães;
Serzedelo - zona Industrial de Guimarães - Moreira de Cónegos - Estação da CP de Lordelo;

Reforço de linhas municipais e urbanas com vista à sua integração:
- Linhas do centro urbano
- Arco Vilar, Selho S. Lourenço, Aldão, Margaride
- Arco S. Jorge de Selho, Pevidém, Selho S. Cristóvão, Candoso S. Martinho e Candoso S. Tiago, Santo Amaro e covas;
- Extensão da linha 11 a Conde e Moreira de Cónegos
- Extensão da Linha 21 a Paço Vieira e cemitério de Monchique
- Transporte flexível em períodos de baixa cobertura da rede regular

A rede terá melhorias e no cenário futuro serão abrangidos 800 mil Km por ano, com encargos financeiros para o Município e incremento da mobilidade eléctrica.
Quanto ao tarifário, o modelo será semelhante ao actual, baseado-se em tabelas de relação preço-distância. O bilhete de bordo no centro urbano passa a ser de 1,80€ para 1,50€. Já o passe mensal da linha de Cidade, actualmente de 17 euros, passará a abranger todo o centro urbano.
A futura rede reforçará o serviço, com a cobertura das freguesias, zonas industriais e Avepark, com reforço no período nocturno, fins-de-semana e períodos de férias escolares. Está prevista a integração das redes urbana e municipal, a melhoria da frota, devido a uma redução da idade média e a uma clara aposta em autocarros movidos a energia eléctrica.

No próximo dia 27, em data e local a anunciar, a Autarquia vimaranense vai apresentar publicamente a proposta.

O plano contempla uma terceira fase, em que será definido o modelo de gestão e organização (podendo passar pela criação de uma empresa municipal), o enquadramento para o transporte de passageiros flexível e o estudo económico-financeiro. Será ainda pedido o parecer prévio vinculativo à Autoridade da Mobilidade e dos Transportes. O lançamento do concurso público internacional até 3 de Dezembro, data limite legal, sendo depois pedido o parecer ao Tribunal de Contas.

em Política

Marcações: Plano do Serviço Público de Transporte Rodoviário de Passageiros

Imprimir