Presidente da Câmara sobre Fernando Alberto: «Guimarães perde um dos seus melhores»

O Presidente da Câmara de Guimarães manifestou pesar pela morte de Fernando Alberto Ribeiro da Silva. 

Em declarações ao Grupo Santiago, Domingos Bragança afirmou: "o Dr. Fernando Alberto foi um cidadão distinto de Guimarães. Para Guimarães, significa uma enorme perda porque Guimarães perde um dos seus melhores. Pela sua dedicação, pelo amor à sua terra será sempre para nós uma forte inspiração para sabermos sempre pôr, como ele sempre colocou, os interesses de Guimarães acima de tudo".
"Esse forte sentido de identidade de ser vimaranense fez com que toda a vida dele fosse na defesa dos interesses comuns, dos interesses colectivos, da Cidade e do território de Guimarães", continuou, dizendo, expressando condolências à família e às instituições a que esteve ligado o ex-Governador Civil de Braga: "A melhor homenagem que podemos fazer ao Dr. Fernando Alberto é nunca perdermos a memória do que ele foi e o exemplo que é para todos nós".

Entretanto, em comunicado, o Município de Guimarães apresenta condolências pela morte de Fernando Alberto Matos Ribeiro da Silva, "destacado advogado, interventor cívico e político, figura marcante da vida vimaranense, particularmente dos anos da democracia local pós 25 de abril de 1974. Nascido no coração da cidade, frequentou o ensino primário na antiga Escola de Santa Luzia, como gostava de recordar, e o secundário no Liceu de Guimarães, tendo-se licenciado em direito na Universidade de Coimbra, e a partir daí iniciado o exercício da advocacia em Guimarães até hoje, durante cerca de 60 anos".

"Exerceu funções dirigentes em grande número das principais instituições sociais, culturais e desportivas vimaranenses, particularmente Rotary Clube, Vitória Sport Clube, Desportivo Francisco de Holanda, Santa Casa da Misericórdia, Lar de Santa Estefânia, Sociedade Martins Sarmento, Assembleia de Guimarães, entre várias outras.
Mas a sua primeira ação marcante na vida pública local foi quando, a 10 de dezembro de 1970, liderou o movimento “Unidade Vimaranense”, sendo o primeiro Presidente da associação cívica então criada, ainda em tempo anterior à democracia. As suas qualidades de bairrista, interventor na defesa de Guimarães, foram então particularmente manifestadas na defesa da localização em Guimarães da Universidade do Minho, na instalação do Parque Industrial de S. João de Ponte, entre outras veementes tomadas de posição", refere o comunicado.

"Em 1974, logo após a revolução de abril, liderou a instalação da concelhia de Guimarães do Partido Popular Democrata (PPD), hoje PSD, tendo na sua intervenção partidária desempenhado funções de elevado relevo.
Liderou a lista do PSD às primeiras eleições autárquicas em Guimarães em 1976, tendo sido eleito Vereador da Câmara Municipal. Em 1979 foi nomeado pelo primeiro governo da Aliança Democrática (AD), presidido por Francisco Sá Carneiro, Governador Civil de Braga, cargo que voltaria a desempenhar durante os governos presididos por Aníbal Cavaco Silva. O seu elevado contributo cívico a Guimarães foi reconhecido pelo Município em 2008 com a atribuição da Medalha de Ouro da Cidade em 24 de junho desse ano".

"Embora pela idade e por problemas de saúde, tivesse participado menos na vida cívica local nos últimos anos, manteve sempre um acompanhamento e influência permanente, ajudando Guimarães e o Município, em diferentes momentos, com as relações que tinha criado ao longo dos anos com as principais personalidades da vida política nacional".

"Neste momento em que Guimarães perde um dos seus melhores, um cidadão que terá sempre lugar destacado na nossa História de comunidade, o Município presta-lhe as suas maiores homenagens e apresenta à sua família e a todas as instituições que serviu, as mais sentidas condolências", concluiu o já mencionado comunicado.


Imprimir Email