Maioria socialista aprovou tarifário da Vimágua para 2021

O tarifário da Vimágua para o ano de 2021 foi aprovado pela maioria socialista, merecendo o voto contra dos representantes do PSD e do CDS-PP.

A proposta de alteração foi analisada e debatida na reunião da vereação municipal vimaranense realizada ontem.

Por ser Presidente da Assembleia Geral daquela empresa intermunicipal, o Presidente da Câmara, Domingos, Bragança, não participou na discussão, nem na votação, sendo os trabalhos conduzidos por Adelina Paula Pinto, na qualidade de presidente em exercício.

Na apreciação da proposta, o Vereador do CDS-PP, António Monteiro de Castro, justificou o voto contra, alegando que "não se pode ignorar a situação que o País que aflige as famílias". "Não é um momento para aumentar, mas sim para a Vimágua reduzir as tarifas", insistiu, lamentando que "continue por resolver o problema das perdas de água da rede que outros municípios têm conseguido resolver com sucesso". "Há um diferencial muito grande entre o volume de água que a Vimágua capta e trata e o que factura aos consumidores", alertou Monteiro de Castro, ao assinalar também que "o irregular encaminhamento das águas pluviais para a rede de saneamento tem contribuído para o agravamento dos custos de tratamento. 

Referindo-se ao aumento previsto para o serviço de saneamento, o representante do CDS-PP observou que "é o terceiro aumento anual consecutivo", estimando que o aumento em três anos ronde os 11 por cento.

Na reacção, a Presidente em Exercício realçou o investimento feito pelo Município nos tarifários especiais, sublinhando que o tarifário da água não sofre qualquer aumento pelo sétimo ano consecutivo. "O aumento das tarifas do serviço de saneamento decorre da tarifa aplicada pelas Águas do Norte", apontou. Adelina Pinto acrescentou que 8 mil 611 munícipes estão abrangidos por tarifários especiais, "temos 8235 famílias com tarifário social e 145 instituições particulares de solidariedade social com tarifário especial". "O Município de Guimarães disponibiliza anualmente 262 mil euros para o apoio às famílias com tarifário social", acrescentou, tendo indicado que a Vimágua tem programado um investimento avultado para que no próximo ano seja possível reduzir as perdas de água da rede.

De acordo com a proposta, "conforme proposto no contrato de gestão delegada, com excepção das tarifas de utilização do serviço de saneamento, todas as tarifas praticadas pela Vimágua serão mantidas no período 2018-2022, excepto se o rácio de cobertura dos gastos registar um valor inferior a 100 por cento, o que não se prevê na actualização do modelo económico e financeiro da Vimágua". 

No próximo ano, as tarifas da água não sofrerá aumentos. As tarifas do serviço de saneamento terão um agravamento de 2,98% resultante do crescimento da tarifa aplicada pela Águas do Norte, em 2020, a que corresponde um aumento de 0,34 euros, no caso de um  utilizador doméstico com um consumo de 10m3 de água.

 

em Política

Marcações: Vereação Municipal, Vimágua, água, saneamento

Imprimir