Projecto para instalar Escola-Hotel do IPCA na Quinta do Costeado apresentado à vereação vimaranense

O projeto de intervenção da Quinta do Costeado para instalar a Escola-Hotel que o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave vai criar em Guimarães foi apresentado esta segunda-feira ao Executivo vimaranense.
Na primeira sessão de 2021, realizada através de videoconferência, os arquitectos Filipe Vilas Boas e Pedro Vinagreiro revelaram os pormenores da intervenção que abrangerá a casa senhorial existente na zona da Cruz de Pedra e toda a área envolvente, onde será erguido um novo edifício de construção sustentável, em madeira, e recuperados os jardins, num processo que estenderá a requalificação citadina até à Circular Urbana de Guimarães.
A Casa do Costeado será reabilitada com técnicas tradicionais, respeitando a salvaguarda do património, e transformada num hotel, onde ficará também uma cozinha e restaurante.

O novo edifício surgirá nos terrenos adjacentes e destina-se à Escola de Hotelaria do IPCA, destacando-se a pretensão de ser um projecto de construção sustentável, em que predominará a madeira, honrando as técnicas tradicionais que permitiram a elevação do Centro Histórico de Guimarães a Património Cultural da Humanidade. "Será um edifício construído em madeira lamelada, muito simples, sem grandes luxos, confortável, sustentável, moderno, que pretende chamar a si as memórias da Cidade e as singularidades do Centro Histórico, com poucos custos de manutenção", disse Filipe Vilas Boas, ao destacar que o projecto vai conferir qualidade urbanística a todo espaço urbano existente entre a Alameda Mariano Felgueiras e a zona do Castanheiro.

Presente na sessão, a Presidente do IPCA considerou a apresentação "um marco simbólico" para o desenvolvimento da Escola-Hotel, "obra que será digna de ser vista, respeitando a imagem de Guimarães e os seus eixos estratégicos", assumindo que a Instituição compromete-se "a pôr a escola a funcionar e ser referência". "Uma escola que terá alunos de licenciatura, mestrado e cursos superiores profissionais, aberta ao exterior, um espaço disponível para a cidade e para as empresas", garantiu Maria José Fernandes, insistindo que será um projecto para responder às necessidades da hotelaria e turismo.

O Vereador do PSD, André Coelho Lima, destacou que o projecto vai dar visibilidade a um "espaço escondido", aproximando o Bairro da Cruz de Pedra à Cidade, mas alertou que o Município está a fazer um grande investimento para o IPCA, querendo saber qual o orçamento previsto para a execução da obra e qual o número de alunos previsto para a Escola-Hotel.

A Presidente do IPCA reconheceu que é um "grande investimento do Município, muito estratégico, porque permite trazer para Guimarães uma área em processo de afirmação", referindo-se ao turismo. "Queremos nascer na área da hotelaria em Guimarães e fazê-la crescer", apontando que o Plano Estratégico do IPCA aponta para a envolvência de 1500 alunos neste projeto. "O IPCA nasceu há mais de duas décadas e sempre foi a nossa vontade estar no Vale do Ave, o que foi possível com o Presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança", continuou, vincando que é um projecto "para fixar pessoas e trazer mais pessoas para a Cidade.

O Presidente da Câmara realçou o empenho do anterior Presidente do IPCA, "o saudoso Prof. João Carvalho, que foi incontornável para a realização deste projecto". Domingos Bragança assinalou que é um "investimento estratégico", mostrando-se esperançado que ao longo de 2021 seja possível sair da crise pandémica que afecta o sector da hotelaria e turismo.

Quanto ao orçamento, o Edil reconheceu que "o preço base para o concurso público será elevado, pela qualidade e dimensão da obra", sem apontar o montante. "É um projecto estratégico ao nível da reabilitação urbana que faz crescer a Cidade. Ligará o Largo do Toural através da Cruz de Pedra ao Multiusos ao Salgueiral, abangendo os fornos de olaria e os bairros... Não se poderá é fazer tudo de uma vez!", acrescentou, sublinhando que o projecto concilia a aposta estratégica no "turismo, o ensino superior e reabilitação urbana".

No final da reunião, em declarações aos jornalistas, o Presidente da Câmara assinalou que a concretização do projecto orçará cerca de cinco milhões de euros, manifestando a esperança de que o concurso possa ser lançado em Fevereiro e a obra tenha início ainda este ano.

 


Marcações: reunião camarária, IPCA, projecto, Quinta Costeado, escola-hotel

Imprimir Email