Arciprestado de Guimarães e Vizela quer constituir 100 grupos de «semeadores de esperança»

O Arciprestado de Guimarães e Vizela quer constituir 100 grupos de «semeadores de esperança».
Os Grupos de Semeadores de Esperança são um projecto do Arcebispo Primaz de Braga, lançado em 2017 que chega agora ao Arciprestado de Guimarães e Vizela com o objectivo de dinamizar as comunidades paroquiais em ano pastoral dedicado a «semear a esperança».
Em conferência de imprensa realizada na Biblioteca Municipal Raul Brandão, o Bispo Auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida fala de um movimento informal de pequenos grupos que "desafia à missão".
"Trata-se sim de, ao longe e ao lado, criarmos condições para que Jesus Vivo seja hoje audível, tangível e encontrável em nós e no meio de nós", explicou.

O Arcebispo Auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida, fala em "proposta inovadora e arrojada" em ordem à constituição de grupos que visam o compromisso pessoal e a dinamização da vida paroquial.
"Em pequena comunidade crescemos no conhecimento mútuo e ousamos projectos para a vida pessoal e familiar, bem como para a conveniente inserção no dinamismo da vida paroquial, na vida social e cultural", referiu.
O Padre Samuel Vilas Boas, do Arciprestado de Guimarães e Vizela, estabelece como meta para este desafio, a constituição de 100 grupos de «semeadores de esperança», para reflexão de sete temas do Livro dos Apóstolos.
Este movimento terá início formal no próximo dia 22, em sessão marcada para o Centro Paroquial de Azurém, estando entretanto já marcado um encontro para representantes de grupos em 20 de Março e um encontro final, para avaliação do trabalho realizado, em 18 de Julho do próximo ano.

Marcações: Arciprestado de Guimarães e Vizela, semeadores de esperança

Imprimir Email