PSD preocupado com atraso na abertura da sala de hemodinâmica do Hospital de Guimarães

A preocupação com o facto de "estar parada" a sala de hemodinâmica existente no Hospital Senhora da Oliveira esteve em destaque na reunião do Executivo vimaranense, realizada esta segunda-feira.
Os vereadores do PSD mostraram-se preocupados com o atraso na entrada em funcionamento do equipamento que está parado há mais de um ano e sem a autorização necessária para prestar os serviços de saúde à população.
Numa intervenção feita no período antes da ordem do dia,  o vereador social-democrata, Bruno Fernandes, considerou "incompreensível que o investimento tenha sido feito com o envolvimento da comunidade e não esteja operacional". "A comunidade com a sua generosidade substituiu o Estado e, por isso, não compreende que o serviço não esteja disponível, depois do esforço de cidadania que permitiu o investimento", observou, responsabilizando pela situação o Governo "que tem a obrigação de autorizar o funcionamento do serviço, incluindo-o na rede de referenciação". Bruno Fernandes quis saber que esforços têm sido desenvolvidos pelo Município junto do Ministério da Saúde para ultrapassar o impasse.
Por ausência de Domingos Bragança, a reunião do Executivo foi presidida por Adelina Paula Pinto. Na resposta, a Presidente em Exercício reconheceu a preocupação pelo atraso na entrada em funcionamento da sala de hemodinâmica, indicando que "o Presidente da Câmara tem feito várias diligências junto do Ministério da Saúde. "É um problema que nos une! Não faz sentido não ter aquela sala operacional! Como é que não se reconhece o esforço de cidadania!", exclamou Adelina Paula Pinto, referindo que "a Ministra da Saúde tem o compromisso de vir cá brevemente". "O Sr. Presidente da Câmara tem feito várias diligências e tem sentido eco das preocupações do Hospital e da comunidade", acrescentou.

Marcações: Hospital de Guimarães, reunião camarária, sala de hemodinâmica

Imprimir Email